Deixe o amor se reinventar

Imagem de capa: Emotions studio, Shutterstock

Será que se existisse um botão de ligar e desligar os sentimentos, nós usaríamos indiscriminadamente? Quando um relacionamento acaba repentinamente e nós não conseguimos deixar para trás aquele amor, como fazemos para dar adeus? Como deixar de amar alguém? Com certeza esse botão mágico neste momento seria muito útil.

Quando terminamos porque não dava mais certo ou porque o momento não era o correto, ou até mesmo quando é a pessoa que nos diz não, mas o amor continua ali firme e forte, é como quando alguém quebra um objeto antigo que tem um valor sentimental muito forte. Não há como juntar todos os pedaços e refazer, não tem como ir em uma loja e comprar outro novo, só o que nos vai restar é a saudade e não há nada que possa substituir aquele objeto que tanto significava para você.

Ficar agarrado as lembranças do que foi vivido faz doer ainda mais a falta de quem antes estava sempre ali ao alcance. Talvez seja por isso que quando a gente termina com alguém acaba enchendo a agenda de compromissos. Acordar, dormir, trabalhar, sair com os amigos, academia, hobby novo… é melhor preencher cada segundo do tempo, para não ter que pensar em mais nada, em mais ninguém.

Mas a verdade sempre nos alcança, seja sentado tomando um café entre um intervalo e outro no trabalho, seja deitado na cama à noite sem dar conta de dormir, ouvindo apenas o som dos nossos pensamentos que insiste em lembrar dos detalhes mais bobos de quando a cama tinha de comportar dois. Tem dias que as caixas escondidas no fundo do armário parecem gritar chamando atenção e aquele último bilhete jogado na gaveta despretensiosamente parece se jogar na sua mão sem querer. Como faz para parar de sentir saudades? Como fazer o coração entender que o amor tem que acabar? Tem algum curso para aprender a não amar?

Apesar de toda a dor ainda existe um remédio infalível. O melhor remédio para dores que julgamos incuráveis: o tempo. Então eu indico aproveitar da melhor forma possível que podemos desse remédio tão valioso. Proponho que os dias não sejam vividos debaixo das cobertas, chorando por um passado que foi bom, mas não tem volta. O mundo não acabou, é chegada a hora de levantar da cama, arrumar a casa, a alma e o coração, pois há tanto para ser vivido, há tanto ainda o que se fazer.

Não quero que você esqueça dos momentos felizes a dois, nem que finja que esse passado não existiu. Nada disso. As melhores histórias se tornam eternas dentro de nós. Mas toda história também deixa uma bagagem enorme e se não soubermos jogar fora aquilo que não precisamos carregar, então vamos criar uma bagunça enorme, quase enlouquecedora.

Então vamos parar de se apegar no que foi e no que poderia ter sido. As fotos, os vídeos, os bilhetes e a velha nostalgia, isso não já é mais uma realidade. Vamos parar de se agarrar a essa saudade.

Vamos combinar de mandar a tristeza embora, que ela tenha sua última noite ao seu lado. Cada um pode escolher o seu ritual, junte com seus amigos ou fique sozinho, tome um pileque ou chore se doer, guarde todas as lembranças ou jogue fora. Mas vá firme, que no amanhecer do próximo dia essa dor vai ficar para trás. Desapegue e deixe a saudade ir embora, com todas as suas forças abra espaço para coisas boas chegarem.

Se não hoje, talvez amanhã, a gente aprende a não deixar de amar, e vai permitindo deixar o amor se reinventar e é aí que um novo alguém vai chegar.

COMPARTILHAR



RECOMENDAMOS



Nanda Andrade
Nanda Andrade não se desgruda dos livros. É extremamente apaixonada pela escrita, pela vida e pelo marido. Queria ter muitas vidas ao mesmo tempo para experimentar o máximo que pudesse de todas as possibilidades. No fim das contas seu coração egoísta quer guardar o mundo dentro de si.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here