Eu não sei você, mas hoje sou mais leve. Da minha vida, amo eu.

Imagem de capa: MakanaCreative, Shutterstock

Vou te contar, não virei zen e nem aprendi técnicas de relaxamento para a alma, ainda que sejam importantes. Também não passei a não me importar com as pessoas e com assuntos gerais. Nada disso. Simplesmente, deixei de me maltratar para encontrar paz. Mudei o meu comportamento, a minha rotina e os meus sentimentos. Eu não sei você, mas hoje sou mais leve. Da minha vida, amo eu. Sinto muito.

De uns tempos pra cá, aprendi muito a meu respeito. Uma delas foi a ter autoconhecimento. Foi reconhecer que, certos caminhos, não posso controlar. Mas mesmo nos dias pesados e nas reações imprevisíveis que a vida traz, tive força para manter a calma. Para seguir em frente, para não permitir que os males cotidianos impedissem o meu crescimento. Porque, bem lá no fundo, é isso o que importa. Se tudo é passageiro, então por que encarar de cabeça baixa os momentos que não tenho como perpetuar? Prefiro dedicar o que tenho de melhor para evoluir e aproveitar instantes e pessoas dispostas de generosidade e afetos sinceros. Quando entendi isso, tudo se tornou mais leve, palpável.

Não me irrito mais com facilidade. Tampouco cruzo os braços e espero, quem quer que seja, vir e fazer dos meus sorrisos motivos para invejas. Afastei-me de corações pequenos e de discursos prepotentes e injuriados. Finalmente, com muita sinceridade, cada parte do meu ser agora respira tranquilidade e liberdade. Faço aquilo que gosto, me relaciono com quem admiro e escolho presenças positivas. E nada disso é sorte, muito pelo contrário, é resiliência.

Vou te confessar, não estou dispensando sentimentos e nem fechando portas para o novo. A diferença é que hoje sei contemplar somas e desviar de solidões. Continuo sendo quem eu era, mas não do mesmo jeito. Aprendi sobre silêncios, brevidades e leveza. Sou mais amor do que ontem e não paro por aí. Da minha vida, quero mais. Pouco não me serve, desculpa.

COMPARTILHAR



RECOMENDAMOS



Guilherme Moreira Jr
"Cidadão do mundo com raízes no Rio de Janeiro"

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here