Você vai ser o meu próximo erro

Imagem de capa: Gutesa, Shutterstock

Outro dia eu te vi olhando pros meus lábios enquanto eu falava. O assunto? O quanto você é linda, inteligente, interessante e tem um mundo de coisas pra experimentar, mas, insiste em se mutilar vivendo esses amores rasos. Eu não sei se você me olhava com jeito de quem só admirava como eu lido bem com as palavras, ou, ensaiou a possibilidade de um beijo. Eu vi seus olhos ficarem molhados, sua boca sorrindo de leve como quem fica sem jeito, essas coisas são boas de ouvir né? E eu não me canso de te dizer, se for pra errar, você vai ser meu próximo erro.

Você sempre se veste do que eu escrevo, cai sempre como uma luva não é? É que no fundo nós, nós todos somos muito parecidos, temos os mesmos medos, aflições e partimos nosso coração fácil de mais por gente tão de menos. Nos abastecemos de clichês tentando ir adiante, mas o fato é que nosso coração é raro, é desses que se enraíza e que quase seca se precisa às pressas mudar pra outro lugar. Dia destes escrevi pra você, __Eu sei que você sabe, escrevi pedindo todo sem jeito pra você ficar, tropecei no silêncio que você deixou.

Talvez seja um erro nunca admitir minha carência. Mas não quero sair por aí e me desperdiçar em beijos que não vão ficar pro café da manhã. Não é querer ensaiar um bom mocismo forjado, as vezes não tenho juízo e me deixo levar, as vezes me arrependo, as vezes não. Mas gosto das coisas clarinhas, abro as portas da vida, abro as janelas, mostro os cômodos, conto de mim, só pra você não se perder em outras versões, só pra você saber quem eu sou.

Das coisas que aprendi na vida, uma delas foi ir embora. Deixar livre, seguir como se eu tivesse desistido. Junto minhas coisas, tento fazer o mínimo de barulho e vou embora. Sei que nenhum de nós seremos os mesmos depois de termos nos cruzado, talvez essa seja a recompensa, guardar um pouco de nós, guardar o bom de nós pra quando tudo parecer sem sentido. Quem sabe nos encontremos um dia muito mais intensos e decididos, quem sabe a gente se esbarre e tenha saudade pra matar. Quem sabe…

COMPARTILHAR



RECOMENDAMOS



Giovane Galvan
Giovane Galvan é taurino, apaixonado e constantemente acompanhado pela saudade. Jornalista, designer, produtor e redator, escreve por paixão. Detesta futebol e cozinha muito bem. Suas observações cotidianas são dramáticas e carregadas de poesia. Gosta do nascer e do pôr do sol, da noite, mesas de bar e do cheiro das mulheres pra quem geralmente escreve. Viciado em arrancar sorrisos, prefere explicar a vida através de uma ótica metafórica aliando os tropeços diários a ensinamentos empíricos com a mesma verdade que vivencia. Intenso, sarcástico e desengonçado, diz que tem alma de artista. Acredita que bons escritos assim como a boa comida, servem de abraço, de viagem pelo tempo e de acalento em qualquer circunstância.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here