Você me tornou a melhor versão de mim mesma

Imagem de capa: Rawpixel.com, Shutterstock

Quando você me olha assim, assim mesmo como está olhando agora, a brisa vem fina e se instala em meu corpo, mais ou menos como acontece quando a janela abre de manhã bem cedinho e o sol vem se mostrando aos poucos.

É que esse jeito de olhar tem algo que me paralisa por inteira, ao mesmo tempo em que me deixa serena. E você vem vindo como se soubesse exatamente o que me causa, mas você não sabe. Sabe por quê?

Porque você me causa muito mais do que o arrepio na nuca ou as borboletas no estômago. Quando estou com você me sinto grande, gigante, do tamanho do mundo. E seus braços me cabem como uma luva. E me encaixo no seu corpo feito quebra-cabeça de um milhão de peças que você monta em menos de um minuto.

E podemos ficar calados por horas que não faltará silêncio para ninar nosso tempo. E podemos ficar acordados até amanhecer ainda em silêncio, pois o único som que escuto é o meu coração que bate junto do seu. Aliás, qual é o meu? Qual é o seu? Que melodia é essa que eles fazem juntos?

É amor, você responde. E quando fala em amor parece até um poeta. E combina rimas escrevendo linhas, e canta qualquer música que não existe, e me decifra como se fosse a primeira vez. E me faz sentir a primeira de todas as outras que você já teve.

Faz tão pouco tempo que você apareceu na minha vida e parece que faz tanto. É que você me causa um tanto de coisa, menino. É tanto de tanto que nem cabe mais em mim. É tanto de tanto que nem sei mais de mim.

Agora só entendo mesmo é de nós. Do seu inteiro com o meu inteiro e das metades das laranjas que a gente já jogou fora. Preciso apenas encostar minha cabeça em seu peito depois de um dia cansado. E lhe ter em meus braços para selar nosso encontro.

E de pensar que amar nem estava mais em meus planos. E de lembrar que desacreditei tantas vezes nessa história toda de me apaixonar de novo. Você chegou e transformou tudo.

Você me tornou a melhor versão de mim mesma. Não porque chegou mudando quem eu era, mas porque me permitiu ser quem sou e me amou ainda mais por isso.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Ju Farias
Não nasci poeta, nasci amor e, por ser assim, virei poeta. Gosto quando alguém se apropria do meu texto como se fosse seu. É como se um pedaço que é meu por direito coubesse perfeitamente no outro. Divido e compartilho sem economia. Não estou muito preocupada com meus créditos, eu quero saber mesmo é do que me arrepia. Eu só quero saber o que realmente importa: toquei alguém? É isso que eu vim fazer no mundo.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here