Quero um amor para andar de mãos dadas

Imagem de capa: Nelson Kwok, Shutterstock

Sem ​​castelos, sem coroa, sem luxo. O amor que desejo não tem valor estimado, mas é simples, tão simples feito casinha de madeira no meio do mato, repleta de flores transbordando o jardim.

​Não preciso de uma declaração de amor com rosas caindo de um helicóptero que voa alto lá no céu. Troco tudo isso por sua voz que diz um bom dia baixinho, preguiçoso, sem pressa. Não espero carro de som e nem você cantando na televisão. Mas não dispenso o seu cantar alegre no chuveiro durante aquele banho demorado de sábado.

Abro mão das noitadas caras por uma festa particular com você no meio da sala. Troco a viagem incalculável por um final de semana naquela pousada sem luxo, mas com um sol que bate na janela e nos acorda para a vida.

Quero ver você dançar sem motivo, de roupa desarrumada, de cabelo desgrenhado. Sem base, sem pó, sem batom. Você na sua beleza mais plena, que é quando lhe acho ainda mais bonita. Quero o brilho dos olhos ao ver você naquele vestido azul no casamento da sua melhor amiga.

Aquele que você insistiu para eu ir, pois queria mostrar para todo mundo como a gente ​combina . Quero poder dizer como você fica melhor perto de quem você ama. E agradecer em silêncio por poder fazer parte disso. E ser grato não só por isso, mas por todas as outras coisas que você me causa.

Como o arrepio louco que provoca no meu pescoço quando me beija daquele jeito. E de como minha boca retribui involuntariamente seu toque. E a gente faz amor como nunca fez um dia e todo dia faz igual.

Adoro quando você coloca a mão na minha perna enquanto dirijo. E como reclama do sinal vermelho e de como me atraso sempre para tudo, até quando chego na hora. Gosto de como você segura o garfo, de como retorce a sobrancelha direita quando lê aquela notícia triste. E de como chora quando percebe que não vai mudar o mundo.

Gosto de como você é tudo aquilo que sempre esperei, e de como mudou o fato de que nunca acreditei que a encontraria. Adoro quando pega minha mão no meio da noite e como busca meus pés tateando a cama com os dedinhos dobrados.

Não preciso que você tenha dois diplomas, nem mestrados, nem doutorados, nem coisa nenhuma. É na faculdade da felicidade que busco meu amor. E esse amor não precisa ter o armário cheio de roupas de marca ou viver plantado no salão de beleza querendo mudar a cor de tudo.

Quero a simplicidade da olheira depois de um dia pesado, dos pés jogados no sofá quando a preguiça fizer sala e da torrada com ovo se não tivermos tempo para fazer o mercado. Nada é tão importante como o jeito que você me olha ou a forma como meu olhar a busca só para ter certeza de que nada disso é um sonho.

Não quero amor de revistinha de novela, nada disso. Quero alguém que tenha mil defeitos, mas que conheça todos eles. E que me permita ressaltar suas qualidades só para lhe arrancar o sorriso mais bonito do dia inteiro.

Quero um amor sem luxos, mas cheio de brilho. Desejo um amor sem carro conversível, mas com pés dispostos a desbravar a vida. Que seja sereno, mas não morno. Que seja de delicadezas diárias, pequeninas, sem solenidade na hora da gentileza.

Quero andar de mãos dadas no parque sem medo de quem vai esbarrar na gente. Quero sua cabeça em meu colo, sua perna na minha canela, seu braço enroscado no meu pescoço. Quero sua versão mais singela e a mais quente também. Quero tudo que o que você é de verdade, do zero ao dez. Do dez ao mil. Do mil ao infinito.

Não precisa vir no cavalo branco, no disco voador ou agarrada na ponta da lua. Venha de pés descalços mesmo, sem grilos, sem gritos, sem caos. Chegue cantando sua música preferida, aquela que faz você dançar.

Juro acompanhar a rima, a dança, o ritmo. Juro encostar meu rosto no seu bem na hora em que a canção fizer você fechar os olhos. Juro cantar baixinho aquela parte que mais gosta. E juro não perder a graça quando beijar você durante o refrão mais bonito.

Venha pronta para amar, mas mais ainda para ser amada. Chegue querendo ver as estrelas, pois não espere nada menos do que o céu como cenário para nosso melhor encontro. Venha feito semente querendo brotar no jardim.

Venha inteira, seja plena e me queira sem fim.

COMPARTILHAR



RECOMENDAMOS



Ju Farias
Não nasci poeta, nasci amor e, por ser assim, virei poeta. Gosto quando alguém se apropria do meu texto como se fosse seu. É como se um pedaço que é meu por direito coubesse perfeitamente no outro. Divido e compartilho sem economia. Não estou muito preocupada com meus créditos, eu quero saber mesmo é do que me arrepia. Eu só quero saber o que realmente importa: toquei alguém? É isso que eu vim fazer no mundo.

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here