É querendo entender que a gente se entende, sem manuais.

Imagem: AnnaTamila/shutterstock

Aaa se as pessoas viessem com seus manuais, tudo seria mais fácil, não é?! Mas, é só mesmo vivendo e convivendo para existir a oportunidade de aprender com as diferenças.

Um manual para compreender o funcionamento humano seria óbvio demais e sem solução para pessoas portadoras de sentimentos, reações e experiências. Não haveria nesse mundo uma lista de procedimentos para nos guiar. É pelo olhômetro mesmo, “feeling”, papo e escuta.

Para esta nada mole missão das relações humanas, “paz ciência”, amor e humildade. Só assim para que tudo não se perca e se resuma numa relação de brutalidade e arrogância. É querendo entender que a gente se entende.

Mesmo não existindo tal manual, uma regrinha básica e de número um precisa existir: O respeito. E respeitar não significa concordar e muito menos temor ou submissão. Na sua origem em latim, a palavra significava “olhar outra vez”. Assim, algo que merece um segundo olhar é algo digno de respeito.

Abrir a escuta, saber ponderar e buscar a empatia são atitudes nobres e que ajudam muito para o entendimento e a boa relação. Conviver talvez seja nosso maior desafio, mas é preciso aprender pois é somente por este meio que é possível existir as relações sociais.

Diálogo e bons argumentos são imprescindíveis para uma boa relação e convívio saudável. Mas se do contrário, a regra número um não existir de forma alguma, o melhor mesmo é se retirar com elegância.

Aquilo que pode me ferir não deve estar próximo a mim. Sair da mira da ignorância é uma atitude inteligente. Sem julgamentos, apenas bater retirada e ser feliz.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



Anieli Talon
É jornalista, atriz, locutora, dubladora e tem a comunicação como aliada. Escritora por natureza, tem mania de preencher folhas brancas com textos contagiados por suas inspirações .

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here