Vida de quem mora sozinho: festa? Engano seu…

Acordo e não tenho para quem dar bom dia. Então me arrasto até o banheiro e penso se dormi direito, quantas horas e por quê estou evitando iniciar mais um dia. Mas dormi as 8 horas recomendadas pelos especialistas… Está tarde e então já perdi o ânimo para dar aquela corrida saudável na praia ou pela vizinhança… Procuro refletir se alguma coisa ainda será feita com qualidade ainda neste dia em que me levanto às 10 da manhã. Não tão tarde, mas nem um pouco cedo. Me questiono sobre o porquê fui dormir às duas da manhã podendo ter dormido às onze de noite… Talvez buscando algum sentido existencial nas séries vistas antes de dormir ou conversando com pessoas virtualmente, que raramente consigo ver pessoalmente.

Logo depois das dez, tomo um banho e espero que tudo se renove e que eu consiga viver uma vida normal e que tudo saia como planejado.

Estudar? Basta ter concentração.

11:00 – Quantas páginas foram lidas? Três? Mas o que se passou em uma hora para ler apenas três páginas de um maldito texto do mestrado? Ah sim, meia hora foi preparando o café e cortando o pão. Como assim meia hora para isso? Nem fiz o suco de laranja saudável que eu queria… as laranjas estão ficando moles. Volto ao mercado no dia seguinte com a mesma expectativa de fazer suco natural de fruta…

Ok, Já que são onze horas, melhor pensar no que tem para o almoço… Ou será que ignoro tudo isso para continuar estudando e como um miojo? Só por hoje. E lá se passa uma semana almoçando miojo.

Ou, nos dias em que o humor está um pouco melhor, penso se falta algo e então vou ao mercado… Paro de pensar em todos os meus problemas. Estou rodeada de comida! Comida, minha melhor amiga, meu amor que não me trai… Era pra comprar pão, iogurte, leite, ovos e cenouras. Gastei 120,00.

Chego em casa, como que eu lembrei de comprar aromatizador de alecrim para o banheiro e me esqueci de comprar alho?

Volto ao mercado, comida sem alho não dá. Mais 50,00.

Era só pra ter comprado alho, mas lembrei do papel higiênico, o pacote de 12 pelo preço de 11 talvez valesse à pena, o suco de uva integral pode fazer bem às artérias, quem sabe não vivo uma vida um pouco mais saudável? Coca? Só uma garrafinha pequenininha… Não se engane, você quer a de 600 ml.

Coca cola de 1 litro só pra mim…

Então, porquê não uma pizza congelada, ou uma lasanha congelada para emergências? Combina com coca… E por isso foram 50,00 por causa de uma cabeça de alho.

Volto para casa, vejo pessoas andando com seus cachorros na rua, queria um. Não posso. Sou estudante, fico o dia todo fora de casa e moro num quarto sem espaço nem ar para minhas futuras cadelinhas: Alsácia e Lorena. É, acho que vou colocar seus nomes em homenagem à minha pesquisa acadêmica…

Chego em casa 12:30. Como começarei a fazer almoço a essa hora? Minha mãe já teria me mandado almoçar e já estaria arrumando a cozinha a esta hora. Começo, penso no feijão dos sonhos, no arroz fresco, no cheiro da cebola dourando com alho, super gostoso. Resultado: o arroz ficou até bom, mas porquê esse feijão ficou aguado? Legumes… verduras… lavar o brócolis? Mas já não vem lavado? Ah… joga na panela de vapor… o calor vai matar as bactérias… Falta algo… carne… Vou cozinhar ovos… Assim não frito e sobra menos uma panela para lavar.

15:00 – almoço. Preguiça. Tudo eu, tudo eu… Vou lá arrumar as coisas.

ok… Cozinha limpa, lixo jogado fora… panelas lavadas… Agora vai ter meu prato e meu copo. Lavo de noite.

16:00 – ligo a televisão para relaxar. Relaxar de quê sua imprestável? Estudou 3 páginas hoje! Nunca vai passar nesse mestrado! Ok, não adianta estudar assim. Melhor tirar um cochilo. 17:00 – acordo

Como assim são 17:00 e eu estudei três míseras páginas? Vou fazer um café porque depois desse café eu engato estudando até dez da noite! Mas me deu fome… quem sabe uns biscoitinhos…

Café pronto, biscoitinhos à mesa, notebook aberto, caneta à mão. Leio mais duas páginas.

Cansada, vejo um pouco do facebook, afinal não tive contato social ainda hoje…

18:30.

COMO ASSIM?

E eu não fiz nenhum esporte ainda! Precisava limpar esse chão, tá sujo… ih, olha o pó em cima da tv… Tento me concentrar mais um pouco. Leio mais três ou quatro páginas, no máximo dez quando estou empolgada. Será que Alsácia entrará no meu ritmo?

Espero que seja mais animada que isso para quando eu comprar a Lorena.

20:00 – Não tenho ninguém.

Meus pais não estão na sala vendo o jornal nacional. Vazio. Silêncio. Solidão. Depressão, afinal, estou sozinha, meus amigos estão fazendo tudo de maravilhoso na vida, não tenho namorado e não estudei nada. (Descubro que meus amigos estão na mesma em casa) Engraçado que eles não se cobram de fazer nada útil. Como encontrar essa chave de paz interior que o Senhor lhes dá, ó Deus todo poderoso??? Porque estou aqui me castigando psicologicamente? Deveria ser como eles. Ver filmes, ouvir músicas, ser mais livre. Consciência: Você não vai ser ninguém na vida. Estude. Estude. Estude. Aproveite e veja noticiários em outra língua para aprender mais.

Voltando à sensação das 20:00…

Mas como poderia se não parei de trabalhar o dia todo exceto o cochilinho de uma hora e meia à tarde? Era pra ser 20 minutos, mas passei um pouquinho do tempo né?

Ok, vou dormir cedo hoje, vou fazer uma lista de coisas para cumprir no tempo amanhã. Amanhã será vida nova. Vou comer… vou fazer a pizza! Finalmente algo fácil. Pera… Ketchup acaba um dia? Como isso acabou? Orégano acaba? Nunca vi pombo filhote nem mendigo morto, nem ketchup que acaba!!!!! Senhor, me salva! Louças, como vocês se criam? Quando foi que eu sujei tudo isto? Alguém para lavar? NÃO!

[bocejos] Amanhã lavo.

Pizza pronta.

Comi, fiquei com preguiça de escovar os dentes… ok, escovei, vi séries e dormi. Claro que deixei a tv ligada. Acha que eu durmo feliz com silêncio e escuro? Timer sleep: 30 minutos. Não precisaria nem de dez.

. . .

Uhn… [bocejos] Bom dia mim mesma!

Droga! 10:00! Que horas fui dormir? 02:30? Mas passou tão rápido depois de 23:00… Eu só vi um filme, 5 capítulos de série… conversei com 14 colegas… só isso.

Vida que recomeça. Confirmo presença no evento: “Saideira para tomar um rumo na vida”. E faço piada daquilo que me mata. O que seria dessa vida sem o bom senso de humor?

COMPARTILHAR
Domie Lennon
Nasceu em Petrópolis-RJ, mestranda e graduada em Relações Internacionais pela Universidade do Brasil! Tem interesse em tudo que se pode imaginar, até química, física, logaritmo e quadrantes. Sempre adorou escrever e coleciona caixas de textos que escreve desde a infância. Seja sobre poesia da vida cotidiana ou sobre assuntos políticos, filosóficos, antropólogos, científicos, sua vida é de uma forma ou de outra ligada à tentativa de olhar o mundo com mais profundidade do que a correria da rotina nos permite. Nada lhe escapa, dos assuntos cotidianos às condições políticas que acontecem ao redor. O que varia é o horário, a inclinação do olhar ou da cabeça também... Quer falar todas as línguas do mundo... ou quase. Quieta de vez em muito, nada como a introspecção para refletir a vida um pouquinho. Mas também pode fingir ser a pessoa mais extrovertida do mundo se quiser. E engana bem. Da personalidade mais rara do mundo, INFJ com muito prazer!



3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA