Pegue na minha mão e vamos passear

Vamos, meu amor, sem medo de ser feliz. Mergulhar de vez nessa imensidão de sentimentos, sensações e desejos. Muito clichê, eu sei, mas é bonito assim. E dane-se o mundo! A nossa felicidade não depende dos outros. Pegue na minha mão e vamos passear por aí, mesmo que a gente fique parecendo o casal mais bobo e maluco que já existiu nesse planetinha azul. Vem comigo, vamos cantarolar pela pracinha do centro, ficar sentados e deixar o tempo passar. Só não pode passar essa vontade de ficar com você. Não, essa vontade já faz parte da lógica do universo.

Lembra daqueles barquinhos de papel? Aqueles que depois de algum tempo viravam chapéu e a gente brincava de pirata, explorávamos a sala, a cozinha, o quartinho escuro e sombrio? Agora estamos explorando corações. Cheios de surpresas, segredos e detalhes. Nem mesmo com um mapa eu desvendaria o seu. Mesmo você me dando tantas dicas e andando de mãos dadas comigo. Fico perdido nesse labirinto de amor.

Não consigo manter a minha boca longe da sua. Tem um imã, né?! Fico querendo bis e odeio quando você vai embora. É triste, mas é preciso. O reencontro é sempre mais gostoso. Ver você sorrindo me faz um bem danado. Você sempre sorri antes de partir. E sempre retorna com o mesmo sorriso estampado no rosto. “Pegue na minha mão e vamos passear por aí”, você me diz. Como recusar? Depois de algum tempo é a minha vez de fazer o convite. Estamos em equilíbrio, meu bem. Os astros estão alinhados e as estrelas estão olhando para nós.

Então que se dane o mundo, que se dane tudo. Estar com você é um sonho. Mas é real! Quando eu acordar você ainda estará por aqui. E, mesmo que esteja a milhares de quilômetros, estará comigo, dentro do meu coração.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS





Valter Junior
Amante de café, boas ideias e mulheres de atitude. Adora conhecer pessoas, filmes e músicas novas. Fundador do Puta Letra. Pai de um livro, esperando o segundo bebê.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here