Ô abre alas, meu amor!

Imagem de capa: BABAROGA, Shutterstock

O ônibus 2017 está prestes a passar e a parada vai se encher de gente querendo embarcar. Ouvi dizer que vem gente de toda raça, tem amigo, tem família e tem comparsa. Todo mundo esperando a oportunidade de começar outra vez, de transpor o sonho, de realizar como nunca fez. Temos fome de um tempo novo, queremos nossas preces refeitas em dobro.

Esperança vestida de branco para compor mais um ano com notas de afeto. Dó de quem não acredita, Ré para toda ferida, Mi tenho inteira para dar a largada. Quero estar plena para a corrida da vida, vou por caminhos inéditos, sem deixar de dar créditos para os velhos percursos. A rua é a mesma, mas a minha forma de percebê-la é nem perto da mesma maneira.

Gosto do jeito otimista do meu povo quando decide ir em frente. Avante, amigos! Estamos diante do melhor ano de nossas vidas, alguém duvida? 2016 nos preparou para afiar as garras da honestidade na cara de um bando sem vergonha alguma.

Uma galera sem noção que tirou da gente o direito de ter esperança, de ser criança e mais outros direitos mil! Até mesmo o de voar no balão enfeitado com a bandeira do Brasil!

Mas se eles escolheram a música, esse ano a gente decide a dança. E vai ser carnaval de amor na passarela da vida. Purpurina, bloco na rua, serpentina! Pula, pula, meu parceiro! Vamos comemorar bem no modo brasileiro: colorindo o ano inteiro o sorriso das crianças.

É tempo de jogar fora dores e temores para sobrar mais espaço, abre bem os seus braços que me encaixo nesse abraço antes do sol raiar. Chega de nó cego, quero é laço enfeitado, rosado, bem desenhado. Pinto com a cor da fé nossa obra de arte e dou de presente para quem me sorrir contente. Gentileza gera gentileza, disse o poeta.

Troco encantos por outros encantos e me desfaço em mil pedaços colados com goma de mascar. Sou uma costureira do tempo e minha maestria é transformar retalhos em mantos, tão ricos, tão lindos, tão santos.

Fico aqui na estação da luz, esperando 2017 abrir as portas para nossa gente. Vamos subir de mãos dadas, com mil alegrias coladas e as mais brilhosas lantejoulas para enfeitar as poltronas. Escolhe a roupa mais bonita, pinta o cabelo de alegria e vamos brindar o tempo que está para chegar.

Temos o mapa do tesouro e somos os piratas da vez. É hora de gritar bem alto e jogar as mãos para cima. Comemora, faz firula, gira a saia rodada e faz o carnaval bem no meio da sala! Ô abre alas, meu amor! 2017 está chegando com tudo!

Você será o rei de si!

Você será o rei do mundo!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Ju Farias
Não nasci poeta, nasci amor e, por ser assim, virei poeta. Gosto quando alguém se apropria do meu texto como se fosse seu. É como se um pedaço que é meu por direito coubesse perfeitamente no outro. Divido e compartilho sem economia. Não estou muito preocupada com meus créditos, eu quero saber mesmo é do que me arrepia. Eu só quero saber o que realmente importa: toquei alguém? É isso que eu vim fazer no mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here