Elegância é algo que a gente carrega e não veste.

Ser elegante vai além de ter bom gosto com roupas e saber se vestir. Elegância é algo que a gente carrega e não veste.

Regras de etiqueta da vida e não do armário para uma vida onde elegância é sinônimo de educação e bom comportamento.

Sabe o que é mesmo elegante? Ter bom senso e respeito.

Não é preciso estar em cima de um salto alto ou dentro de um terno caríssimo para ser elegante. As atitudes enfeiam pessoas que não tem bom comportamento.

A elegância está na simplicidade de um bom dia sincero para o porteiro que passou a noite toda acordado, no falar baixo quando o outro está perto, no saber ouvir quando o outro fala, e no saber sorrir quando isso é tudo o que você pode oferecer. No saber agir sem agredir.

Uma pessoa elegante tem encantamento na voz, fala com propriedade e tem jeito com as palavras. Sabe chamar a atenção sem ser rude, saber observar sem se intrometer, sabe respeitar o espaço alheio.

A elegância está no tom da voz e no silêncio que também comunica. Na forma de se posicionar quando precisa, no jeito de ver o mundo.

Um pessoa elegante não vive de fofocas, não inventa mentiras e não se mete em baixaria. Quem é elegante tem positividade, atrai pessoas do bem, vibra com a vida, com os sucessos, torce pelo outro, não tem inveja, carrega alegrias e otimismo, e sente com verdade. Não sabe viver de oportunismos, sabe se colocar nas oportunidades e não puxa saco nem tapete.

Elegância está no “com licença” e “muito obrigado”. No reconhecimento do esforço, na empatia e na colaboração.Está na mão que ajuda, está também na gratidão
E quanto mais conheço pessoas, mais percebo que a elegância está vestida de simplicidade e não de rótulos e invólucros sociais. Encontrei mais elegância calçada de chinelos que vestida de etiquetas, e isso não tem haver com situação financeira, mas com referência de vida, criação e sabedoria.

Encontrei a elegância no ser e não no ter, e percebi que é mais elegante aqueles que se vestem de amor.

COMPARTILHAR
Anieli Talon
É jornalista, e tem a comunicação como aliada. Atuou em Santa Catarina como locutora, apresentadora e repórter nas emissoras SBT e Band. Deixou o jornalismo junto com o estado para se dedicar a outra paixão. Atriz por formação, vive em palco e não dispensa um microfone como locutora e dubladora. Escritora por natureza, tem mania de preencher folhas brancas com textos contagiados por suas inspirações.



11 COMENTÁRIOS

  1. Anieli, me perdoe se eu for um pouquinho deselegante, mas tem um pequeno errinho no seu texto: Na frase “Encontrei mais elegância calçada de chinelos que vestida de etiquetas, e isso não tem haver com situação financeira, mas com referência de vida, criação e sabedoria”, você deveria ter escrito ” a ver”, não “haver”, pois haver é verbo, e “a ver” é o advérbio que significa “tem relação com”, que é o que você quis dizer. Entretanto, a propósito do texto, o achei excelente. Suas palavras acalentaram meu coração ao ver que ainda existem pessoas que prezam a elegância, a gentileza e os verdadeiros valores. Muito obrigada de coração.

  2. Anieli você abordou com muita sabedoria um assunto que exige delicadeza e, trouxe para nós um questionamento que com certeza, fará muitas pessoas repensar suas atitudes em relação ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA