Deus, ainda está aí?

Eu estive caminhando longe do barulho das águas do mar e sentir tanta tua falta estes dias que decidir visitar as ondas do Pacífico uma última vez. Eu juro, eu não queria chorar, não agora. Mas só de molhar os pés naquelas águas calmas e saber que não vais estar mais ali pra esquentar o frio que toma conta do meu coração, minhas lágrimas insistem em cair inundando todo o Pacífico novamente.

Eu estive caminhando estes dias pensando em tudo que deveria ter dito e ter feito ao teu lado. Mas eu sei que quando me for permitido à hora de te visitar por aí, eu direi todas as coisas lindas da vida que eu não disse. Hoje, em meio a meus afazeres diários andei me questionando. Quem vai esquentar meus dedos nas noites frias? Quem vai me contar histórias sobre o amor que não morre nas madrugadas calmas? Quem vai me envolver em braços tão aconchegantes como os teus? Quem vai me ensinar o valor da vida ao lado de quem se ama?

Então nesses dias tenho conversado com Ele.

Na verdade eu converso com Ele todas as noites e mesmo quando tudo parece desabar, ele está comigo – assim como você esteve todo este tempo – colocando meu mundo em ordem. Ele me escuta, me entende. E como ninguém; mostra-me as respostas sem proferir uma única palavra. Ele me disse que você anda feliz por aí, e que suas piadas continuam sem graça. Mas que teu sentimento por mim nunca mudou, e o incrível, é que nunca deixei de acreditar nisto. Lembra do dia em que você me pediu em casamento em cima da mesa da praça? Eu tenho uma foto deste dia até hoje. Quem pede alguém em casamento em cima de uma mesa e esquece o anel?

Eu sinto muito a sua falta. Falta dos carinhos no lóbulo da orelha, dos beijos com rédeas de quero mais, até das brigas por ciúmes bobos. Sinto falta do teu cheiro no meu travesseiro e da tua presença na minha vida. Eu sei que daqui a algum tempo meu oceano vai se juntar ao teu coração gigante novamente. E quando o som das nossas batidas sem juntarem novamente em uma só, eu saberei que será a hora de eu deixar meu Pacífico para trás, e ir em busca do teu paraíso.

Então esses dias sem você ao meu lado, tenho conversado muito com Ele como você me pediu. E Ele tem me confortado bastante.

Deus, ainda tá aí?

COMPARTILHAR
Pedro Ficarelli
Me chamo Pedro Ficarelli, tenho 25 anos e curso Letras. Garoto bobo apaixonado pela escrita e pelos contos do Gabito Nunes. Pernambucano de Olinda, carismático com um quê de romântico. Escrevo por vida desde moleque tímido com um sonho, de uma dia, minha palavras chegarem a teus ouvidos e visitarem teu coração. Escrevo para pôr palavras onde a dor se faz insuportável. Seja bem-vindo ao meu mundo, o nosso, onde um pouquinho de mim, somado a um pouquinho de ti, torna-se bastante de nós.



DEIXE UMA RESPOSTA