As pessoas só nos atingem quando damos esse poder a elas

Com o tempo a gente aprende a ter consciência sobre quem somos, sobre nossos gostos, nossas preferências, nossa maneira de ser e estar no mundo. Com o tempo a gente também aprende que algumas opiniões nos afetam mais que outras, que algumas pessoas vão nos ferir e magoar mais, que precisamos da aprovação alheia para sermos quem somos. Porém, com mais vivência ainda, descobrimos que somos nós que damos ao outro o poder de nos direcionar, de nos ferir, de nos magoar. E que não há como mudar o que o outro pensa ou faz. A única coisa que podemos fazer é mudar a forma como reagimos a tudo isso.

Ainda muito jovens, nos submetemos à opinião da turma de amigos (tão perdidos quanto nós) e vamos moldando nossa personalidade a partir do olhar de quem nos aceita ou não.

Porém, é preciso aprender a se proteger. A fortalecer o nosso espírito a ponto de não estar vulnerável ao que pensam ou deixam de pensar a nosso respeito.

Um coisa é pedir uma opinião a alguém e trocar de roupa, mudar o cabelo ou alterar a foto de perfil do WhatsApp em função desta opinião. Outra coisa bem diferente é ficar inseguro, triste, enfurecido ou deprimido diante da opinião do outro.

Se ele tira a sua paz, é porque você permite. Se ele tem o poder de te irritar ou entristecer, é porque você autoriza. Se ele te magoa ou diminui, é porque você deu esse poder a ele. Se ele te faz se sentir humilhada, é porque você não estabeleceu limites.

As pessoas só nos atingem quando damos esse poder a elas. Quando lhes oferecemos as chaves de nossa auto estima e sabotamos a confiança que temos em nós mesmos e em nossas escolhas, condicionados ao olhar de aprovação ou desaprovação do outro.

A culpa não é do outro de você se sentir diminuído. Não é o outro que tem o poder de estragar o seu dia ou te colocar para baixo. Fique longe de frases do tipo: “tem pessoas que têm o poder de nos diminuir…” Não! Quem deu esse poder a ele foi você. E quem se sente diminuído diante da opinião ruim _ ou como dizem por aí: da asneira_ do outro, também é você.

Vamos nos tornando mais sábios à medida que organizamos nosso pensamento para não aceitar qualquer julgamento que nos desmereça ou diminua.

Vamos enriquecendo nossas vidas a partir do momento que consideramos nossas escolhas com certeza e confiança, e não vacilamos diante da primeira critica descabida.

Vamos amadurecendo quando descobrimos nosso valor independente do que nos fizeram acreditar, e não nos desmerecemos ou invalidamos nossos dons diante das desaprovações alheias.

Que possamos ser como poeira, que dança ao sabor do vento mas não permite ser moldada por ele. E deixemos de ser barro, que pode ser modelado e remodelado por outras mãos, nem sempre certeiras e amorosas.

Que a gente aprenda a ter ouvidos para as críticas e opiniões, mas não se sinta diminuído frente ao primeiro olhar de desaprovação.

Que a gente saiba discernir o que é dito para nosso bem e o que é colocado para nos ferir. E que possamos dar ouvidos somente ao que acrescenta e melhora.

E, finalmente, é necessário estabelecer limites. Não permitir que pisem em seu tapete branco felpudo com solas sujas de barro. Entender que a culpa do seu tapete ficar encardido não é só do outro, mas também sua, que não teve a capacidade de pedir para tirarem os sapatos.

Afaste-se de quem não faz bem e cuide de seu território com carinho. Proteja sua vida, sua alma, seus canteiros. Se proteja não dando ouvidos a qualquer crítica; se proteja dando limites; se proteja não aceitando como fato qualquer opinião.

Se recuse a afundar e ame-se em primeiro lugar. Essas são as únicas coisas que você realmente pode fazer. Acredite, você consegue!

Para adquirir o livro “A Soma de Todos os Afetos”, de Fabíola Simões, clique aqui: “Livro A Soma de todos os Afetos”

COMPARTILHAR
Fabíola Simões
Nasceu no sul de Minas, onde cresceu e aprendeu a se conhecer através da escrita. Formada em Odontologia, atualmente vive em Campinas com o marido e o filho. Dentista, mãe e também blogueira, divide seu tempo entre trabalhar num Centro de Saúde, andar de skate com Bernardo, tomar vinho com Luiz, bater papo com sua mãe e, entre um café e outro, escrever no blog. Em 2015 publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos os Afetos" e se prepara para novos desafios. O que vem por aí? Descubra favoritando o blog e seguindo nas outras redes sociais.



6 COMENTÁRIOS

  1. Geeeeente .. Meu Deus onde eu posso Deixar um Like ?
    Sabe voce totalmente me descreveu Rs .
    eu ameei seu Texto , voce está de parabéns , continue escrevendo.

  2. Olá!
    A mais de um ano leio e releio seus textos com certa frequência.
    Sou uma admiradora do seu belíssimo trabalho.
    Suas palavras conseguem tocar no mais profundo da minha alma.
    Gratidão por você acolher tantas emoções.
    Um abraço muito apertado.

  3. Bom dia, hoje nao acordei nos melhores dias, todos os dias de manha abro esse site e hoje o seu texto era tudo que eu precisa ver ler e ouvir, parabens pelas palavras obrigada por escrever cosas que podem ajudar muito outras pessoas.

  4. Bom dia, querida Fabíola Simões. Obrigadíssima por esse texto maravilhoso e cheio de verdades. Você se supera todos os dias, pode ter a certeza. Um final de semana abençoado para si e os seus familiares.

DEIXE UMA RESPOSTA