O que te faz feliz?

Fiz essa pergunta aos meus amigos do Facebook e aos seguidores no Instagram.

Felicidade é um tema discutido desde sempre.
E eu, que sempre busquei conhecimento, também me interessei em estudá-la mais profundamente.
Nos quase 15 anos que pratico e estudo Yoga, consegui algumas respostas.

Mas antes de falar sobre o que eu penso, vou contar o que eu ouvi das pessoas que perguntei.
A maioria falou que estar perto da família e das pessoas que ama as fazem felizes.
Ter saúde, viajar, fazer outras pessoas felizes, as pequenas coisas do dia a dia, a vida em si também foram respostas.
O que percebi foi que a maioria associa felicidade a fatores externos.

E a minha compreensão de felicidade é algo que você simplesmente decide.
É algo que vem de dentro para fora, e então você aprende a viver nesse estado de contentamento. No Yoga esse estado é chamado de Santosha. Algo que com o tempo, você compreende e vive dentro disso.
Acredito também que para ser feliz, em primeiro lugar, você deve ter uma boa autoestima. Se aceitar como um ser humano maravilhoso e divino.

Felicidade é diferente de alegria. Alegria é algo que dura pouco tempo e é intenso. É quando você conquista algo, tem uma boa notícia, vive momentos de prazer.
Justamente o que a maioria respondeu como sendo a felicidade.
A alegria é o oposto da tristeza. Mas já para quem aceita a felicidade, a tristeza é permitida. E a felicidade, que se tornou a escolha da vida da pessoa, não se abate tanto. Porque ela tem consciência que aquilo vai passar.
Já tive depressão. E mesmo nesse estado tão cruel, sempre mantive o pensamento positivo de que aquilo iria passar e busquei ajuda pra isso.

Para chegar a esse meu estado de contentamento, que chamo de felicidade, precisei fazer alguns ajustes na minha vida.
Porque não tem como ser feliz se você não seguir aquilo que fala teu coração. E para ouví-lo e ter a coragem de seguir o seu caminho é preciso muito autoconhecimento.
Quando você sabe o teu propósito, sabe aquilo que o teu coração e intuição estão pedindo e se entrega na tua missão, o Universo conspira. E é preciso ter muita fé.

Para ser feliz tire do teu caminho tudo que não acrescenta.
Para que a felicidade venha de dentro, você precisa estar com o peito desobstruído.
Precisa descarregar o passado e viver o agora. Estar presente em cada momento e fazer o melhor possível. Assim você está livre de se preocupar com o futuro, porque você já está construindo o mesmo agora. É aquela coisa de semear para colher.
E aí entra os fatores externos.

Se você está em um trabalho que não gosta, você tem escolhas. Ou arrisca para fazer o que gosta, ou aceita o sacrifício tendo como meta algo maior. E foca nessa meta para que o trabalho não te cause tanta insatisfação.
Tem que colocar na balança também o quanto isso está afetando a saúde, pois essa não tem preço que pague e nada que compense perdê-la.
É óbvio que mesmo nesse estado de contentamento, você vai continuar a ter problemas, vai se estressar e passar por momentos difíceis. Mas vai ter maior discernimento para lidar com tudo isso. E vai continuar errando e aprendendo.

Felicidade também tem muito a ver com endorfinas, e segundo um estudo feito pelo Professor Hélio Couto, a única coisa que produz endorfinas exponencialmente é fazer o bem.
Quanto mais se pratica o bem, quanto mais você ajuda o próximo, mais endorfinas são produzidas e mais feliz você se torna.
Diferente das endorfinas produzidas depois de comer um chocolate, por exemplo. Não adianta comer 100 chocolates que isso não vai aumentar tua felicidade, vai te fazer passar mal.

Independente do que seja a minha visão de felicidade, ouvi algo que o Tadashi falou que novamente me fez pensar:
“Felicidade é subjetiva. O que é felicidade para mim, pode não ter o mesmo significado para você. Mas para ser feliz é preciso ter claro e definido o que é felicidade para você. Porque aí é só colocar o foco nisso e ser feliz. O problema é quando a pessoa não sabe o que é felicidade e fica buscando. Fica buscando o que, se nem ela sabe essa definição. E todo mundo quer ser feliz”.

Então concluindo a pergunta que fiz: “O que te faz feliz”, posso afirmar que tudo isso pode parecer complexo, mas a resposta é simples.
A minha resposta eu dei e muitos também deram. E se para alguns a felicidade está totalmente ligada a fatores externos, quem sou eu para julgar?!

Se você ainda tem dúvidas do que é felicidade para você, faça uma lista de coisas que estão na tua vida e que não te fazem feliz. Depois faça outra lista das coisas que você realmente gosta.
Siga a segunda lista e veja o que você pode eliminar da primeira, ou aceitar.
E lute pelos sonhos que você pode ter colocado na tua lista de felicidade.
Talvez seja hora de mudar muitas coisas na tua vida.
Mas se isso te aflige de tal forma que você não consegue lidar, procure ajuda.
Para tudo existe solução. Acredite nisso. E acredite sobretudo, em você mesmo, no teu poder de mudança e transformação.

Carolina Carvalho
(ByNina)

COMPARTILHAR
Carolina Carvalho / ByNina
Nina como é chamada por todos, sonha em morar na praia, pega onda, é Professora de Yoga e SUP Yoga, viciada em seriados, vive no mundo da lua, ama escrever e trabalha com mídias sociais. Ela é mãe da Bianca e apaixonada pelo Nunis, o bulldog francês das duas. Na internet é conhecida pelas suas artes e frases assinadas ByNina.



DEIXE UMA RESPOSTA