Você voltou tarde demais

Você voltou tarde demais. Pensei nesse domingo, comigo mesma, quando você, mais uma vez tentou uma reaproximação, só que desta vez mais direta.

Você voltou. E voltou tão tarde que já há algum tempo eu te via apenas como amigo, a ponto até de te contar em um dia desses as dores que vivi com um outro alguém…

Mas você viveu comigo momentos intensos e talvez por isso você ainda acreditasse que suas tentativas de reaproximação seriam possíveis de se concretizarem. Te prometi meu mundo e te dei. Te prometi minha alma e te dei. Te prometi meu coração e te dei. Eu fui toda sua. Apenas sua. Completamente sua. Então, diante das minhas entregas, acredito que você realmente achou que me teria pra sempre, mesmo após o descaso que teve para comigo tempos atrás. Mesmo após você ter se encontrado nos braços de outra moça durante ou antes o nosso término.

Passei noites em claro me perguntando o porquê. Passei noites em claro te imaginando com ela. Passei noites em claro olhando o seu Facebook e te vendo usar ao lado dela a blusa que eu havia te dado dias atrás. E o que constatei? Que eu não mais o amava. Mas confesso que aquilo me feria. Pois há pouco mais de duas semanas você estava na minha casa dizendo que sentia amor por mim. E eu fiquei perplexa com a capacidade de dissimulação do ser humano.

Ainda sofri por uns dias. Não muitos, esclareço, porque você havia me decepcionado. E a melhor forma de deixar de amar alguém é quando percebemos que aquele alguém era uma mentira. Em seguida, vivi os melhores meses da minha vida. Descobri o que era deitar a cabeça no travesseiro e não ter que me preocupar se você estava mesmo em casa, se você estava mesmo trabalhando, se você estava mesmo com a sua família. Porque o fato é que desde o início eu sempre me senti insegura com você; suas mentiras disfarçadas de verdade eram constantes, no fundo eu já sabia, mas não queria acreditar.

Então, após um ano e meio nesse namoro, eu pude finalmente experimentar a paz. Só houve um momento em que eu pensei em você após o término: “Vocês já estavam juntos antes do nosso fim. E ela sabia que você era comprometido. Como ela teria a tranquilidade de saber que você não faria com ela o mesmo que fez comigo?”. Mas isso era o tipo de pergunta que apenas a Vida poderia responder. Talvez no mês seguinte ou apenas anos depois…

Segui o meu caminho, ampliei meus horizontes. Só após o fim eu pude perceber o quanto aquelas cordas amarradas em meus pulsos me feriam. Mas eu, naquela época, apegada, acreditava que necessitava delas. Achava que amor era apego. Achava que amor era dependência. Foi só o fim que me permitiu enxergar que o amor estava longe de ser aquela dor e prisão que eu vinha vivendo. Os meses seguintes foram os melhores da minha vida. Definitivamente. Reinventei-me, me redescobri e voltei a ser a garota mais animada e engraçada da turma de amigos. Essa era a minha essência. E você e nosso falso amor, quase a destruíram.

Vocês dois continuaram juntos. Mas então, tempos depois, aparece você com o coração na mão me pedindo minha alma e meu mundo novamente em sua vida. Mas agora eu já era minha. E eu me amava como nunca cheguei a te amar. Você bateu à minha porta. Mas você voltou tarde demais.

COMPARTILHAR
Nat Medeiros
“Sou personagem de uma comédia dramática, de um romance que ainda não aconteceu. Uma desconselheira amorosa, protagonista de desventuras do coração, algumas tristes, outras, engraçadas. Mas todas elas me trouxeram alguma lição. Confesso que a minha vida amorosa não seguiu as histórias dos contos de fada, tampouco os planos de adolescência. Os caminhos foram tortos, íngremes, com muitos altos e baixos e consequentemente com muita emoção. Eu vivo em uma montanha-russa de sentimentos. E creio que é aí que reside o meu entendimento sobre os relacionamentos. Estou em transição: uma jovem se tornando mulher experiente, uma legítima sonhadora se adaptando a um mundo cada vez mais virtual. Sou apenas uma mas poderia ser tantas que posso afirmar que igual a mim no mundo existem muitas e é para elas que escrevo: para as doces mulheres que se tornaram modernas mas que ainda acreditam nas histórias de amor.”



1 COMENTÁRIO

  1. Como um único texto pode me mostrar duas histórias?
    Comecei a ler o texto como a pessoa que volta, que se arrepende, que quer o outro porque um dia ele disse que te amava mas você estava muito ocupada “caçando” opções melhores, atordoada com um termino de 5 anos de relacionamento. Mais para o final do texto, eu virei a protagonista, aquela que namorou cinco anos e que foi traída, aquela que descobriu que no dia seguinte do termino seu ex já estava namorando outra, será que ela não pensa que pode acontecer o mesmo com ela? Estou realmente pasma, é um texto que me bate com uma mão e me afaga com a outra…. Parabéns pelo texto Nat Medeiros! Gratidão :)

DEIXE UMA RESPOSTA