Dialogar é preciso

Nenhuma relação se constrói e se mantém por jogos de adivinhação. Por silêncios e repressões verbais e emocionais. Falar é necessário. Ter e permitir essa liberdade de expressão é essencial. Sejam em relações conjugais, entre pais e filhos, irmãos, amigos, familiares… Qualquer situação em que seres humanos estão postos e expostos, sempre haverá a necessidade da palavra, do expressar, do dizer, do ouvir, compreender e colocar sua posição.

Não é algo fácil e por diversos fatores. Desde acontecimentos durante experiências de vida que acabaram criando uma espécie de bloqueio, até uma criação que privada da liberdade de expressão. No entanto, é preciso mudar a rota do caminho e perceber que, quando não dialogamos, matamos pouco a pouco sentimentos próprios, maltratamos os alheios, nos afastamos de pessoas queridas e estrangulamos relações.

De antemão, ressalto a importância do diálogo entre pais e filhos. É algo que, ao ser construído desde a infância, perdura durante toda a vida. Tanto para a própria relação quanto para futuras relações que os filhos terão durante suas vivências. É preciso que os pais entendam que autoridade não pode ser sinônimo de imposições exacerbadas, regras nunca conversadas e medos impostos como forma de respeito. Punições intensas e constantes refletem-se em muitas consequências negativas na vida de todos os seres humanos. Não será diferente com uma criança. Por isso, repito, o dialogo é imprescindível. Ouvir o filho, suas vontades, seus motivos para tal ação, seus desejos, procurar compreender e expor seus pontos buscando fazer o outros também compreender, é algo que fará bem para todas as partes.

E agora abranjo as situações para qualquer tipo de vinculo criado durante nossa vida. Não esconda o que sente e não dê motivos para o outro se privar de mostrar o que sente. Não reforce no outro o comportamento de reprimir as palavras e emoções. Seja livre e dê ao outro a liberdade. Nada se resolve por telepatia. As cartas precisam estar à mesa para que se possa resolver problemas comuns a todos os tipões de relações. Chame, fale, abra-se, ouça, compreenda, exponha e não imponha. A gente amadurece e nossos laços se fortificam e nosso espirito fica em paz. Dialogar é mais que preciso, é vital.

COMPARTILHAR
Ana Luiza Santana
"Estudante de psicologia, nascida no Pernambuco, mas escolhida pela Bahia(amo). Intensa por naturalidade e louca por amor. Completamente apaixonada por abraços apertados, sorrisos e pessoas de aura leve e energia positiva."



DEIXE UMA RESPOSTA