Amores que não se importam com os anos, rugas ou o tempo

O segredo dos amores atemporais está na compreensão, na capacidade de comprometer-se e no respeito. São casais que se encarregam de crescer juntos e trazer felicidade à relação.

Há amores que duram um verão, um ano ou uma vida inteira. Na realidade, pouco importa a duração, mas sim se a experiência valeu a pena, se nos trouxe felicidade e uma recordação para guardar como quem conserva um belo tesouro.

Mas os mais enriquecedores, os amores que nutrem, que nos fazem crescer e que criam raízes por dentro e por fora são aqueles que nos acompanham até essas idades em que nos pesam os ossos e os anos, mas nunca o tempo compartilhado.

Há pessoas que não acreditam que os amores eternos, os que duram toda a vida, possam existir de verdade. Mas existem, e estes seriam seus segredos. Convidamos você a descobri-los conosco.

Os pilares que constroem os amores de toda uma vida
Começaremos especificando um aspecto importante. Há casais que têm uma relação de dois, cinco ou dez anos e a desfrutam com a mesma felicidade que aqueles que a conservam durante toda uma vida.

Por sua vez, há quem encontre seu bem-estar e equilíbrio de maneira solitária. Com isso, queremos dizer que, na realidade, a felicidade tem muitos caminhos e muitas faces, e que não temos que idealizar os “amores eternos”.

O amor dura o tempo que tem que durar e, por sua vez, durará se ambas as partes investem tempo, carinho e esforços nele.

Vejamos quais são esses pilares que definem as relações mais estáveis, essas que seguem buscando-se com o olhar, apesar das rugas.

Não se trata de “suportar”, mas de construir

casal_inverno

  • Certamente, ao longo de sua vida, você ouviu que no amor o mais importante é saber suportar, ceder, ter paciência e perdoar.
  •  É preciso ser prudente com esses conselhos da sabedoria popular que, às vezes, oferecem resultados tão ruins.
  •  É preciso ter paciência, sem dúvida; é necessário saber perdoar, certamente, mas tudo isso com equilíbrio e cuidando sempre de nossa autoestima.
  • Os amores que duram toda uma vida não se limitam a “suportarem um ao outro”, a calar e dissimular, a esconder o que não gosta e a se lamentar escondido. Isso não é saudável nem adequado para nosso bem-estar emocional.
  • Os relacionamentos positivos e duradouros sabem construir, criam pontes, chegam a acordos, descobrem coisas juntos e cuidam para que, a cada dia, se chegue à cama não com um desgosto, mas com vontade de que chegue um novo dia para continuar esse projeto em comum.

casal_idosos_abracados

A preocupação sincera de um pelo outro
Um casal passa por várias etapas, que não estão livres de crises. Problemas no trabalho, na família, épocas em que caímos na rotina e na monotonia…

  • Os amores sinceros, que duram toda uma vida, enfrentam os buracos pessoais, porque há uma cumplicidade autêntica e preocupação mútua.
  • Não se busca o bem-estar próprio a cada momento, o egoísmo se desativa, não em benefício exclusivo do outro, mas também pelo bem comum.
    Eu entendo que, se você está feliz realizando-se em seu trabalho, desfrutando de seus interesses e amizades, todo esse bem-estar se reverte também em nossa felicidade e na do casal.
  • Se não há preocupação, se não há interesse pela outra pessoa nem se demonstra com sinceridade e autenticidade, o vínculo vai se perdendo. “Morre de fome, de afetos, de respeito”.

A magia de fazer coisas juntos
Os casais felizes são, antes de tudo, uma grande equipe. Pouco a pouco vão aparando as diferenças, e não porque um cede e outro aguenta, mas porque existe um claro respeito mútuo.

  • Um aspecto que nos une dia após dia com mais intensidade é o prazer de fazer coisas juntos. Levantarmos juntos, nos deitarmos juntos, nos divertirmos juntos…
  • Se há cumplicidade e um claro desejo por seguir compartilhando coisas, espaços e projetos, esses casais chegarão à terceira idade com o mesmo carinho.
  • Outro aspecto que devemos levar em conta é o “crescimento”. Fazer coisas juntos também significa seguir experimentando e iniciando novos projetos. Assim, seguimos descobrindo aspectos um do outro que reforçam ainda mais o vínculo.
  • Viajar juntos, sair com novos amigos, permitir que tanto um como o outro tenham seus próprios passatempos e projetos também fará com que cresçamos individualmente e como casal.

Para concluir, estamos certos de que, ao seu redor, você conta com essa companhia antiga que te enche de admiração por esse amor que ainda mora em seu olhar, apesar dos anos e do tempo.

Certamente vocês passaram por muitas dificuldades e momentos de crise; no entanto, lutaram um pelo outro e pelo relacionamento. Sabem que o amor é construir, é investir e, acima de tudo, cuidar um do outro.

Fonte: Melhor Com Saude

COMPARTILHAR
A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".



DEIXE UMA RESPOSTA