Se tem amor, vista sua alma de cor!

Por Laila Guedes

Amor é algo definitivamente que não sai de moda. Talvez em alguns armários o sentido verdadeiro do “amor” venha sendo expressado de uma forma que não está na moda. As pessoas estão cada vez mais críticas e exigentes. Não vejo mal algum nisto, desde que façam algo de útil a não ser inflamar seu próprio ego. E isso, me desculpe, não é amor, é outra coisa. O amor pendurado no cabide é exibicionista. O que comumente esquecemos é que não estamos aqui apenas para partilhar prazer e conforto, que a vida não é feita apenas de momentos bons cheios de risos inesquecíveis. O que acontece é que, fazer coisas chatas, sofrer, abdicar de vontades e interesses pessoais também faz parte. Arrisco ainda afirmar que muitas vezes se faz necessário, e é exatamente neste momento que você descobre que é amor de verdade.

A maneira como você arruma o seu armário é que determina se suas roupas são trocadas a cada estação ou se terá peças curingas para a vida inteira. E se serão fortes ou fracos quando a dificuldade chegar, mesmo que sem avisar. Tão importante quanto escolher a roupa que irá vestir é não perder o seu estilo próprio.

Mesmo que sempre exista alguém. Uma nova roupa que te veste despreocupadamente, mas não toca a sua alma com a mesma delicadeza que já foi tocada. Nem todos os lábios que acariciam a sua pele tem a forma suave que te faz desfalecer. Aquela peça única que já não encontra mais dentro do seu armário. Momento em que ficamos em frente ao armário de portas abertas e dentre inúmeras peças, nenhuma delas é a que preciso. E nada adianta esvaziar gavetas, realizar novas aquisições, arremessar bermudas e calças no chão. O único jeito é se conformar e aceitar a nova realidade. É preciso recomeçar a difícil tarefa de escolher a roupa, no mínimo, confortável. Mesmo sabendo que nenhuma veste tão bem quanto você. No meio de tantas roupas, é difícil achar justamente aquela que quero vestir. Em pilhas de camisetas, me esqueço das que me cairiam melhor.

Você tenta se esconder nas gavetas entre uma meia e outra, e o perfume só traz lembranças. Do jeito que você sorria. Dos olhos fixos encarando os seus. Então, fica tão sem graça que troca de roupa a cada estação. Na primeira dificuldade, a mulher ou o homem já desiste e parte em busca de algo novo. Põe pessoas e sentimentos de lado, sem pensar que acabam por sepultar uma relação que poderia dar certo. Daí, surpreendentemente, acontece uma inversão: o tempo passa sem aquela pessoa e você percebe que jamais vai esquecê-la. Obviamente, essa situação tem consequências. Uma delas, terrível, é ter a certeza que aquela pessoa ama outro alguém. E isso reduz consideravelmente as possibilidades de um recomeço.

Se você sente um amor, assim tão forte, intenso quando se beijam, assim tão despudoradamente no olhar, ardente quando se tocam. O seu armário pode até está cheio de roupas da moda. Mas o tempo não tem freio, e as lembranças vem descontroladamente pedindo pra ser vestida novamente. Uma roupa pode se desgastar, como o desejo. Mas só o amor dura, perdura, recomeça e nos faz verdadeiramente felizes. Então se ainda tem amor, vista a sua alma de cor!

via Ativar Sentidos

COMPARTILHAR
A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".



DEIXE UMA RESPOSTA