Ninguém precisa de ninguém para ser feliz.

Por Gabriel Capeletti

Vamos acabar com esse misticismo de que as pessoas se completam, que você é meia laranja ou que sua tampa da panela se perdeu na mudança.

É por pensamentos equivocados que estamos a ponto de definharmos sexualmente.

É tanta procura por alma gêmea que tem camas sendo mais usadas que leitos de hotéis.

É tanta pressão para viver acompanhado que estamos na maior era de vendas de camisinhas.

ENTENDAM QUE FELICIDADE É INDIVIDUAL.

Tudo que se tem com alguém do seu lado é apenas apreciação, contemplação, amor.

Nada disso é felicidade. Se fosse, quando ela fosse embora (ela irá pelo tempo ou pela morte) sua felicidade também iria.

Encontrar-se é o ponto central dessa equação simples. Fazer o que se gosta e não o que dá dinheiro. Lutar pelo que se deseja viver e não para alegrar os outros.

A vida é curta e não pode-se ser vivida com pensamentos de outrem.

Procure a sua alegria, o seu prazer no simples fato de estar vivo e querer buscar melhores aprimoramentos para si.

Quando você se coloca pela metade em relação a alguém, faz com que ela adquira 50% da responsabilidade de fazer você feliz e isso é uma injustiça horrenda.

A presença de um cônjuge é apenas para você ter a oportunidade de CONTEMPLAR a vida do lado de uma mesma pessoa. Aprender a ter paciência, a cuidar de filhos, netos, aprender a mexer com máquinas, ser solidário, amoroso, educado, fiel, respeitoso. Não para fazê-la feliz.

Ninguém está preso a ninguém e nunca estará.

Quem vive feliz sozinho tem muito maiores probabilidades de viver acompanhado feliz também, porque entende a liberdade que precisa dar e também a que precisa ter.

Via Vida em Equilíbrio

COMPARTILHAR
A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".



DEIXE UMA RESPOSTA