Liberdade também é poder escolher ficar

Por Thainá Perrenoud

Eu não fazia ideia de onde estava pisando, nem ao menos me importei com isso, então como poderia te culpar? Sempre fui da ideia de que os opostos se atraem, mas você tinha o encaixe perfeito para o reflexo de cada uma das minhas ações desordenadas e já chegou quebrando padrões. Sintonia, nada era forçado, desde a maneira que sorria até como me abraçava, ou melhor, me esmagava.

Você tem um jeito engraçado de me fazer tentar te entender, é que transparece tão bem tudo o que sente – e tenho que confessar, é uma coragem que me cativa – mas vez ou outra se contrai, talvez pra se proteger de algo, que la no fundo, você cria um medo, uma paranoia de supostas possibilidades que te machucariam. E porque não se prevenir, não é? Eu também protegeria muito bem esse coração, se o tivesse.

Confusão. Sim, você bagunçou bem mais que minha cabeça. Podem ter sido aquelas caretas que fazia, por vezes só pra corresponder as minhas e em partes porque combinavam perfeitamente com você, e tudo em você combinava perfeitamente comigo. Era até um tanto distraído, não chegava aos meus pés-ninguém chega- mas quando te pegava me olhando daquele jeito que me desconsertava, com certeza estava em outro mundo, até que uma das minhas caretas te trazia de volta.

Pode ter sido a leveza que eu sentia com a espontaneidade que a gente se permitia ou as conversas mais malucas que tiravam a monotonia de qualquer dia. Sabe, você até me irritava – ou pelo menos tentava – de uma forma que eu não me importaria que se repetissem por horas, afinal, você estava ali e isso já era um grande detalhe a se priorizar.

Sorrisos sinceros, aconchegos fáceis e saudade que não cabia, mas agora vai ter que caber. Vai ter que caber porque fui até onde eu podia pra tentar te resgatar. E logo eu, que sempre fui muito adepta a ler sobre signos, dessa vez to aqui esperando que o que dizem sobre o seu, esteja bem errado. Espero que tenha liberdade o suficiente para saber que pode escolher ficar e coragem o suficiente pra se entregar.

É que em meio a tantas pessoas dentro daqueles padrões “normais”, eu fui achar justamente alguém com essa loucura que se encaixa bem, muito bem com a minha. Então cheguei a conclusão que talvez até possa te culpar, afinal, você nunca avisou que eu não poderia me apaixonar.

via Tempo de Amor

COMPARTILHAR
A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".



DEIXE UMA RESPOSTA