Contra a idas e vindas que não nos deixam seguir

Idas e vindas não funcionam. Alguém já disse: “Figura repetida não completa álbum”. Obviamente é apenas uma brincadeira, mas que nos faz refletir se vale mesmo a pena insistir em um relacionamento demasiadamente conturbado.

Relações desgastantes, cheias de idas e vindas podem dar certo? Conheço alguns exemplos que deram certo, mas para isso precisaram decidir levar a sério e de maneira madura o que sentem um pelo outro. Tiveram que aprender a dar outro significado a seus problemas.

O fato é que chegamos em certa idade que não estamos mais dispostos a todo o desgaste que isto traz. Começamos a procurar por relacionamentos mais relevantes, que sejam, no mínimo, adultos o suficiente a ponto de entender que não rola essa história de idas e vindas sem fim.

Lembro-me da minha adolescência e das paixões que me acompanharam neste período. Você sabe, nesta idade toleramos mais certas coisas porque ainda não temos muita coisa definidas em nossa vida sentimental e emocional. Somos mais impulsivos, não pensamos para falar ou fazer… e isso nos leva inevitavelmente para relacionamentos cheios de problemas. Quando não temos coragem suficiente para encarar os problemas de frente, saberemos bem que apesar de doloroso, algumas vezes é mais fácil o término.

Chega de idas e vindas..

Quando somos mais jovens temos tanta coragem de fazer tudo o que dá na telha, que no dia seguinte a um término, temos a cara de pau de pedir para voltar. Sinto saudade daquela época cheia de descobertas, mas não troco por nada a segurança e maturidade que sinto hoje.

Se olharmos por meio das lentes da maturidade é nítido que relacionamentos que vão e voltam estão fadados ao fracasso. Por que dar continuidade a algo que já terminou várias vezes? Se não houver mudança verdadeira de atitude, a tendência é que continue não dando certo. Porque apesar de promessas, a coisa tende sempre a piorar com o passar dos anos.

Sempre precisamos refletir após um término, considerar melhor a eminente possibilidade de volta em casos como este, e pensar se ambos estão dispostos a abrir mão de si mesmo, da sua razão, da sua paranoia em favor do outro. Se seu orgulho é maior do que isso, sinto muito, mas você só irá perder seu tempo insistindo em figurinhas repetidas e nunca terminará essa página para avançar em outra.

via Casal do Blog

COMPARTILHAR
A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".



DEIXE UMA RESPOSTA