O dia que ela saiu pra não voltar

Ela saiu porta afora, foi comprar cigarros naquela padaria que fica na esquina do fim do mundo e provavelmente não vai voltar hoje ou amanhã. Sendo assim, o que resta a você é o ontem. É, rapaz, o melhor mesmo é se agarrar a ele como a um bote salva-vidas no meio de um naufrágio, porque é assim que a sua vida deve estar agora, né?

Eu sei, ela é do tipo que rouba a cena onde passa e até o seu jeito desengonçado de andar tropeçando nas próprias pernas é um charme só, não vai ficar sozinha por muito tempo.Fala com mansidão e carinho quando a noite é propícia, mas também sabe falar mais firme que militar de alta patente quando é necessário e você adorava isso. Foram muitas as vezes em que você teve certeza de que ela era a mulher da sua vida e, no entanto, aí está você, desenhando no ar o rosto dela enquanto a saudade te corrói a alma, sabendo que a culpa foi inteiramente sua.

Você a vê em cada rosto que cruza enquanto caminha na calçada, seja indo comprar pão ou cortar o cabelo. Até a vizinha sexagenária do 42 fica parecida com ela quando a saudade bate. E quando você está no mercado, aparentemente a salvo das lembranças dela enquanto escolhe um limão e, de repente, começa a tocar aquela música? Justamente aquela que tocou naquela vez em que trocaram eventuais beijos no corredor de sucos. É em momentos como esse que você acha que a vida está literalmente te dando um limão tão azedo, mas tão azedo, que nem um canavial inteiro seria o suficientemente para adoçar a limonada.

Não adianta esperar e sabe bem disso. Portanto, apenas sinta-se grato por ter experimentado a felicidade ao lado dela; saboreie cada gota da lembrança dos beijos dela e dos abraços confortáveis que ela te deu quando você precisou se abrigar da tempestade; das palavras de carinho que ela proferiu pra você quando o mundo era só julgamento; das piadas sem graça que ela costumava contar só pra te fazer rir feito um imbecil. Enfim, guarde-a em sua melhor forma, em caixa de madeira e com interior de veludo e peça para que ela não perca a fé no amor, pois isso é quase tão importante quanto respirar.

Demora um pouco até digerir um prato tão frio quanto a solidão, principalmente quando se está ciente de que a culpa é toda sua, mas bola pra frente, meu amigo. Talvez assim você aprenda a não colocar razão demais onde deveria haver apenas sentimento. Pense nisso, todo novo aprendizado é um pouco dolorido e caberá somente a você mostrar, a si mesmo, não ao resto do mundo, que aprendeu a lição.

Agora é hora de seguir em frente. E daí que ela é a única capaz de fazer o rio Tietê parecer uma lagoa na qual se pode nadar sem preocupação nenhuma? Tá, tá certo, isso tem importância sim, confesso. Mesmo assim, é preciso entender que ela é livre e que precisa viver, que irá sair com outras pessoas, conhecer novos lugares e ter novas bandas favoritas. No entanto, se quiser um conselho, tente ser o melhor que você conseguir ser, dia após dia. Afinal, quem garante que o fim do mundo pode não ser um lugar assim tão longe?

Ele pode estar logo ali, há três quarteirões, e um pedido de perdão, de distância.

COMPARTILHAR
Jocê Rodrigues
"É escritor e editor".



DEIXE UMA RESPOSTA