Como uma frase ajudou a salvar meu casamento

— Minha filha mais velha Jenna me disse recentemente:

«Quando eu era pequena, meu maior medo era que você e minha mãe se divorciassem. No entanto, quando fiz 12 anos, pensei que pudesse ser a melhor escolha, pois sempre brigavam!» E depois acrescentou com um sorriso: «Estou contente que agora se deem bem».

Por muitos anos, minha esposa Keri e eu brigamos muito. Olhando para trás, não entendo muito bem como foi que nos casamos, nossas personalidades não eram muito compatíveis. Quanto mais tempo ficávamos casados, mais profundas pareciam ser as nossas diferenças. A fortuna e a fama não fizeram a nossa vida mais fácil. Ao contrário, parecia que os problemas foram ficando piores. Nossas brigas se tornaram constantes e era difícil até imaginar uma relação pacífica. Estávamos sempre na defensiva, criando fortalezas emocionais em torno de nossos corações. Estávamos prestes a nos divorciar e repetidamente discutimos o assunto.

Estava numa turnê promovendo o meu livro, quando as coisas chegaram ao extremo. Tivemos outra briga séria pelo telefone e Keri desligou na minha cara. Estava sozinho e me sentia sozinho, frustrado e irritado. Tinha atingido o meu limite. Estava no chuveiro, em Buckhead, Atlanta Ritz-Carlton, gritando que meu casamento fora um grande erro e que eu já não aguentava mais. Odiava a ideia do divórcio, mas seguir assim me machucaria muito. Estava confuso e não conseguia entender por que meu casamento com Keri era tão difícil. No meu coração, sabia que Keri era uma boa pessoa. E eu também era. Então, por que não nos dávamos bem? Por que eu me casei com alguém tão diferente de mim? Por que ela não podia mudar?

No final, rouco e com o coração partido, sentei-me no chuveiro e comecei a chorar. De repente, no fundo do meu ser veio a inspiração. Você não pode mudá-la, Rick. Você só pode mudar a si mesmo. No dia seguinte, voltei para casa. Minha esposa mal me cumprimentou. Naquela noite, quando fomos para a cama dormir, os centímetros que nos separavam pareciam quilômetros. Eu sabia que tinha de fazer algo.

Na manhã seguinte, perguntei a Keri: «O que posso fazer para melhorar o seu dia?»

Keri olhou para mim com raiva: «O que?»

«O que posso fazer para melhorar o seu dia?»

«Nada», disse ela. «Por que você pergunta?»

«Porque eu realmente quero isso», disse. «Eu só quero saber o que eu posso fazer para tornar o seu dia melhor».

Ela olhou para mim com ironia. «Você quer fazer alguma coisa? Bem, vá limpar a cozinha».

Certamente pensava que eu ficaria bravo. Em vez disso, apenas assenti. «Ok». Levantei-me e limpei a cozinha.

No dia seguinte, perguntei a mesma coisa. «O que posso fazer para melhorar o seu dia?»

«Limpe a garagem».

Respirei profundamente. Tive um dia agitado e sabia que ela só disse isso para me irritar. Mas somente disse: «Ok». Levantei-me e passei duas horas seguidas limpando a garagem. Keri não sabia o que pensar.

Na manhã seguinte perguntei: «O que posso fazer para melhorar o seu dia?»

«Nada!», ela disse. «Você não pode fazer nada. Por favor, pare de perguntar».

«Desculpe», respondi. «Mas não posso. Fiz uma promessa a mim mesmo. O que posso fazer para melhorar o seu dia?»

«Porque você faz isso?»

«Porque eu me importo», lhe disse. «E eu me preocupo com o nosso casamento».

Na manhã seguinte, perguntei novamente. E continuei perguntando. Na segunda semana, um milagre aconteceu. Quando fiz a mesma pergunta, os olhos de Keri se encheram de lágrimas. Começou a chorar. Quando conseguiu falar, disse: «Por favor, pare de me perguntar. Você não é o problema. Sou eu. Sou uma pessoa difícil de aguentar. Não sei por que você ainda está comigo».

Gentilmente levantei seu queixo para que pudesse me olhar nos olhos. «Porque eu amo você», eu disse. «O que posso fazer para melhorar o seu dia?»

«Eu é quem devia lhe perguntar isso».

«Certo», eu disse. «Mas não agora. Agora eu preciso mudar. Quero que você saiba o quanto significa para mim».

Ela colocou a cabeça no meu peito. «Perdoe-me por me comportar tão mal».

«Eu amo você», eu disse.

Eu amo você«, respondeu.

«O que posso fazer para melhorar o seu dia?»

Ela me olhou com carinho.

«Podemos simplesmente sair juntos?»

Sorri, «Adoraria!».

Continuei perguntando por mais de um mês. E as coisas realmente mudaram. As brigas acabaram. Em seguida, Keri começou a perguntar: «O que eu posso fazer para ser uma boa esposa?»

O muro entre nós caiu, começamos a ter conversas profundas e significativas sobre o que queríamos da vida e como poderíamos nos fazer felizes. Não, nós não resolvemos todos os nossos problemas. Não posso dizer que nunca mais voltamos a brigar. Mas a natureza de nossas discussões mudou. Não só se tornaram menos frequentes, mas também lhes faltava força. Cortamos o seu oxigênio. Paramos de permitir que nos feríssemos.

Keri e eu estamos há mais de trinta anos casados. Não só amo minha esposa, mas gosto de estar com ela. Preciso dela. Adoro ela. Muitas das nossas diferenças se tornaram nossos pontos fortes. Aprendemos como cuidar um do outro e, o mais importante, temos vontade disso.

O casamento é difícil. Mas ser pai, fazer exercício, escrever livros e tudo o mais que importa na vida também. Ter uma parceira é um presente significativo. Eu também aprendi que o casamento pode ajudar-nos a aceitar as características que não gostamos em nós.

Com o tempo eu aprendi que a nossa experiência foi uma ilustração de outra lição, ainda maior do que o casamento. A pergunta que todos aqueles que estão em um relacionamento devem fazer a seus parceiros é a seguinte: «O que posso fazer para melhorar a sua vida?» É o amor. Os romances (escrevi alguns) são sobre o desejo e têm sempre um final feliz, mas esse «final feliz» não vem do desejo. O verdadeiro amor não se trata de desejar a pessoa, mas honestamente desejar que seja feliz, às vezes às custas de nossa própria felicidade. O verdadeiro amor não é conseguir uma cópia de você como companheiro. É expandir nossas habilidades de tolerância e procurar fazer com que seu parceiro se sinta bem. O resto é apenas uma farsa de interesse egoísta.

Eu não quero dizer a minha experiência funcione para todas as relações. Nem dizer que todos os casamentos no mundo devem ser salvos. Mas eu, pessoalmente, sou incrivelmente grato pela inspiração dada a mim naquele dia. Sou grato à vida porque minha família ainda está intacta e ainda tenho a minha esposa, minha melhor amiga na cama todas as manhãs ao acordar. E estou feliz porque, mesmo agora, décadas depois, ainda nos perguntamos: «O que posso fazer para melhorar o seu dia?» Isso faz com que valha a pena acordar de manhã.

Autor: Richard Paul Evans
Tradução e adaptação: Incrível.club

COMPARTILHAR
A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".



DEIXE UMA RESPOSTA