Como cuidar com carinho dos seus pais idosos

Mais cedo ou mais tarde, percebemos que nossos pais envelheceram. Essa percepção não é fácil, pois ela exige uma inversão de papéis: se antes eles cuidaram de nós, agora nós passamos a cuidar deles. Não se assuste se isso lhe causar sentimentos confusos de ansiedade, carinho, medo, pena, raiva… Isso é normal porque essa situação exige uma mudança interna e externa muito grande. Temos que nos reorientar emocionalmente e, cotidianamente, acolher essa nova posição.

Considere alguns pontos e saiba como agir:

1- Detecte se chegou a hora de cuidar dos seus pais idosos.

Observe se há um declínio da capacidade funcional, enfraquecimento ou perda da visão, audição, motricidade, fragilidade corporal, perda da memória, dificuldade em lidar com dinheiro, flutuação do humor, dificuldade de concentração etc.

2- Moradia como referência.

Os especialistas recomendam que, a não ser que seja necessário, o idoso deve permanecer na sua própria casa. Ele passou grande parte da sua vida ali e a tem como uma referência afetiva. Assim, se for possível, mantenha seus pais idosos na casa deles e tenha lá uma pessoa para cuidar dos mesmos.

3- Cuidado cotidiano.

No caso de seus pais ficarem na casa deles, estabeleça um cuidado gradual, uma intimidade a distância. Visite-os todos os dias para ver o que está faltando, levá-los ao médico, conversar etc. Dessa forma, você fica próximo deles, se mantém a par do que acontece e preserva a privacidade de todos.

4- Atenção aos detalhes.

Observe na casa deles os móveis que podem causar acidentes, tapetes que escorregam, pisos escorregadios, pontas, escadas… Enfim, tudo o que pode se constituir em risco para eles.

5- Vida cotidiana.

É preciso ficar atenta para que seus pais idosos tenham uma rotina saudável, como por exemplo: fazer corretamente todas as refeições atentando para o valor nutritivo das mesmas, tomar os medicamentos nos horários corretos, mater os hábitos de higiene, checar se as contas mensais estão sendo pagas etc.

 

6- Crie uma rede de apoio.

Monte uma rede de apoio compartilhando e dividindo a responsabilidade entre os membros da família. É muito difícil quando a responsabilidade recai somente nas costas de um dos filhos.

7- Deixe seus pais se sentirem úteis.

Avalie quais tarefas seus pais necessitam de ajuda e quais eles podem desempenhar sozinhos. Não faça tudo para eles, não seja superprotetora: sentir-se inútil é um dos caminhos para a depressão.

Não se esqueça nunca:

Procure fazer tudo isso com muito carinho, paciência, bom humor e gratidão, lembre-se que nos momentos em que a vida foi difícil, nos seus dias de pesadelos, foram eles, os seus pais, que mansa e amorosamente disseram: “Calma, minha filha, não tenha medo, nós estamos aqui com você” e abrindo os braços amorosamente a acolheram até que o medo passasse.

*Artigo escrito por Virginia Pinheiro

*Fonte: Site Viva 50

 

 

COMPARTILHAR
A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".



DEIXE UMA RESPOSTA