Aprenda a reconhecer os abusos emocionais que sofremos no dia a dia

Como reconhecer o abuso emocional

Por Georgia Lee

O abuso emocional tem muitas definições, mas é mais bem caracterizado por padrões típicos de comportamento e dinâmica de relacionamento. O abuso emocional tende a girar em torno de um desequilíbrio de poder, onde pelo menos uma pessoa no relacionamento tenta exercer controle psicológico e às vezes físico sobre o outro. Mas, o abuso emocional não envolve a agressão física em si. Curiosamente este tipo de abuso nem sempre é consciente, óbvio, ou intencional, embora muitas vezes seja.

Alguém que cresceu em um ambiente emocionalmente abusivo pode não reconhecer o seu próprio comportamento abusivo. Ou pode não reconhecer o abuso que sofreu como tal. Alguém pode também confundir controle com cuidado, e ver a sua atitude dominadora ou invasiva, não só como adequada e necessária, mas também como sinal de afeto.

O abuso emocional no casamento e relacionamentos em geral, pode ser caracterizado de duas maneiras. A forma mais agressiva de abuso emocional é evidente, e deixa a vítima com uma compreensão clara da experiência. Você sabe o que o agressor sente e diz sobre você, assim como as outras pessoas em sua vida.

A forma mais passiva é menos caracterizada pela dominação, mas por alfinetadas irritantes. Pequenas e aparentemente insignificantes implicâncias ou correções que se acumulam em uma espécie de relação mestre e subordinado ao longo do tempo. E você não pode nunca realmente saber o que o agressor pensa, sente ou diz sobre você – ou até mesmo o quanto o abuso o afeta.

Então, como você sabe se o seu cônjuge, companheiro, ou alguém em sua vida é emocionalmente abusivo?

Sinais mais agressivos de abuso emocional

Xingamentos

Ela pode usar xingamentos, durante uma discussão, para repreender o outro, ou no dia a dia ser infantil e desrespeitosa. Você não é estúpido, inútil, feio, ou qualquer outro nome degradante.

Menosprezo e condescendência

Você está sempre abaixo dele. Ele precisa fazer com que você e as suas realizações pareçam inúteis e insignificantes. E ele pode causar constrangimento na frente das pessoas que a respeitam e se importam com você.

Condenação e crítica

Você não consegue fazer nada direito. Você está sempre errado, não importa em quê. Você é uma pessoa ruim, um pai ruim, mau amigo, mau seguidor. Ou o que mais você puder pensar. Ou, pelo menos, você não é tão bom, ou tão hábil como ela é.

Controle e possessividade

Ele tenta controlar seu dia, sua localização, sua aparência ou prioridades. Você não pode ir a lugar nenhum sem ele, sem sua permissão, ou sem informá-lo primeiro. Se você fizer isso, haverá uma longa palestra ou intensa briga depois.

Acusações e paranoia

Acusações de infidelidade são os mais típicos. Mas as acusações podem ser tão estranhas como traindo com um amigo, um membro da família ou por dinheiro. Ela pode acusá-lo de roubar dela, ou até mesmo tentar prejudicá-lo ou os seus filhos.

Ameaças

Ele poderia ameaçar com a violência, humilhação ou abandono, o que silencia quaisquer objeções ao tratamento torturante.

Manipulação e corrupção

Ela vai querer manter uma agenda que só beneficia ou agrada a ela. Ou que seja prejudicial ou ofensivo a você. Ela, muitas vezes, convence-o a cumprir os compromissos, ou tenta fazê-lo crer que a ideia partiu de você, quando na verdade não foi assim.

Corrupção e extorsão

Ele vai usar um segredo como objeto de abuso, como um meio para manter e aumentar o controle.

Isolamento

Ela impede o seu contato com amigos, familiares, colegas de trabalho, e outros que se preocupam com sua saúde e bem-estar, e geralmente com qualquer outra pessoa no mundo. Isso ajuda a manter seu controle. A única pessoa que você precisa é ela.

Exposição e voyeurismo

Ele fala ostensivamente sobre os abusos, de maneira livre e independente, e até mesmo sobre suas conquistas, em frente a você e outros. Ele pode vê-la sofrer por seu controle e humilhação, e convidar outras pessoas para juntar-se a ele. Ele pode mesmo filmar como você esfrega o chão, abaixada e de joelhos.

Sinais mais passivos de abuso emocional

Culpa e vergonha

Ela tenta fazer você se sentir mal por algo que está fora de seu controle. Quando as coisas saem erradas, e elas sempre saem, a culpa é sua. E mesmo se você tentar o seu melhor para manter as coisas organizadas, ou consertá-las, o seu esforço ainda não é suficiente.

Culpa

O problema é sempre você, ele não faz nada errado. Você merece o jeito como ele, e outros, tratam você. Novamente, você é responsável pelo que os outros fazem.

Comparação e desaprovação

Você não é bom o suficiente do jeito que é. Você precisa mudar. Ou você precisa ser mais parecido com alguém. E mesmo assim, provavelmente ainda não será bom o suficiente.

Correção

Os erros são proibidos. Ela faz as regras e decide quando e como quebrá-las. Justificada ou não, ela vai encontrar algo que você fez de errado e fará você saber disso.

Fofoca

Ele fala negativamente ou com pena de você pelas suas costas. Especialmente para as outras pessoas que a respeitam para degradar a opinião destas sobre você, ou para pessoas que já o veem negativamente, acrescentando lenha à fogueira.

Sabotagem

Ela aberta ou discretamente desacredita, se recusa a ajudar, ou atrapalha você em suas realizações.

Ignorar

Ele usa o tratamento do silêncio. Geralmente administrado como punição por fazer, dizer, ou até mesmo pensar em ser algo que ele desaprova.

Rejeição e negligência

Ela deliberadamente retém amor, carinho, apoio, intimidade, tempo de qualidade ou qualquer necessidade do relacionamento.

Exclusão e imposição

Ele é uma constante intromissão em sua vida, e até mesmo na vida dos outros ao seu redor. Ele quer ter o acesso completo. Ele sempre precisa de você para estar perto dele, em contato com ele, ou prontamente disponível para ele. Ele diz o que você deve e não deve fazer. Ele pergunta a seus amigos, familiares, colegas de trabalho ou até mesmo empregadores sobre cada detalhe de sua vida.

Se você acha que está em um relacionamento emocionalmente abusivo, procure ajuda profissional. Ou, pelo menos, converse com alguém que você confie. Faça pesquisas online sobre “o que é” e “o que não é” abuso, o que parece ser, e como impedir. Decida que você merece estar em um relacionamento saudável, feliz. Trabalhe para construir essa relação com quem quer construir com você.

Traduzido e adaptado por Stael Pedrosa Metzger do original How to recognize emotional abuse, de Georgia Lee

Fonte indicada: Família

COMPARTILHAR
A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".



1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA