A Anvisa, preocupada com o caos sanitário no país, aprovou na última quarta, 10, uma resolução que torna oficial as regras para que os estados, incluindo o Distrito Federal, municípios e o setor privado possam importar medicamentos e vacinas contra a Covid-19.

A liberação da Anvisa também inclui os medicamentos que não tenham aprovação para uso no país.

Na prática, isso significa que a decisão da Anvisa é para fazer valer os efeitos da Medida Provisória (MP) 1.026/21, conhecida como MP das Vacinas, que foi sancionada nesta semana pelo presidente.

Entre uma das regras para validação da importação é que os medicamentos e vacinas sejam rotulados especificamente para tratamento ou prevenção da Covid-19 e que tenham aprovação de alguma autoridade sanitária estrangeira além de precisarem ter, pelo menos, estudos clínicos de terceira e última fase ou concluídos ou com resultados provisórios, indicando boa eficácia.

Ainda de acordo com a Anvisa, o importador será responsável pela qualidade, eficácia e segurança do medicamento ou vacina que será trazida ao Brasil, assim como passos tipo monitoramento das condições de transporte para garantir as condições gerais e a manutenção da qualidade dos produtos, sem contar o seu armazenamento.

Também caberá ao importador, prestar orientações aos serviços de saúde do país sobre uso e cuidados de conservação dos produtos importados, assim como divulgar informações aos pacientes.

Com informações Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here