Pela primeira em sua história, a Vogue Brasil trouxe em sua capa uma modelo plus size e preta: Rita Carreira, uma paulistana de 27 anos que defende o “corpo livre”.

A realidade começou há 10 anos atrás, quando Rita decidiu largar o emprego de vendedora para investir na carreira de modelo, e na época, ela disse exatamente esta frase: “Um dia vocês ainda vão me ver no São Paulo Fashion Week e na capa da Vogue”. E eis que chegou o histórico dia.

Em 2017 Rita estreou nas passarelas da SPFW pela LAB Fantasma e agora finalmente chegou na capa da Vogue Brasil.

“Ouvir isso hoje pode parecer brincadeira para você, mas sempre fui determinada a ponto de querer ser referência, ser a primeira, mas não a única. A minha maior responsabilidade é abrir espaço”, disse em entrevista à Vogue.

Rita também falou da sua relação com o corpo e a felicidade:

“Nunca precisei de terapia para me aceitar, porque em casa não me deixaram cair na ilusão de que a felicidade só estava no padrão”.

“Ser gorda nunca vai ser mais difícil do que ser negra, mas faço questão de levar adiante discussões sobre gordofobia. Ninguém pensa como isso se desdobra na saúde, por exemplo, enquanto pessoas obesas não têm acesso a equipamentos hospitalares que suportem os seus pesos”, explicou na entrevista.

E finalizou com um discurso pra lá de empoderador e importante:

“Não me coloco em nenhuma situação que possa impor qualquer mudança no meu corpo. Me amo assim, mas percebo que as pessoas veem o plus-size como um problema ao tentar invisibilizar o fato de eu ser gorda dizendo ‘mas você nem é tão gorda assim’. Sou e está tudo bem ser”, encerrou.

No seu perfil no Instagram, Rita demonstra o quanto ficou feliz:

Com informações Vogue
Fotos: reprodução / Vogue / Instagram

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here