Mais fácil e sem prejudicar o solo e o meio ambiente. No momento de plantar novas colheitas, os novos tratores são capazes de queimar as ervas daninhas e assim agricultores podem evitar ou até abolir o uso de pesticidas. Uma ideia genial!

O que comemos é a parte mais essencial do nosso estilo de vida. Se comermos de comidas saudáveis, seremos mais fortes e teremos menos problemas de saúde. É algo que parece lógico, no entanto, também precisamos lembrar da influência de como esses alimentos são cultivados.

Pensando em deixar os alimentos ainda mais saudáveis, agricultores orgânicos implementaram uma nova tecnologia, baseada em lança-chamas, sim, você leu certo. É um novo sistema que evita o uso pesticidas e que até agora tem funcionado muito bem.

A operação é bastante simples, como pode ser visto no vídeo acima.

Na agricultura, ervas daninhas es são combatidas com pesticidas e herbicidas. Não existe uma fórmula mágica que possa evitá-los, infelizmente. Portanto, existem poucas soluções menos prejudiciais ao ambiente para combatê-las. Felizmente, apareceu essa tecnologia.

Parece tirado de um filme, mas não foi. Por mais fantasioso que possa parecer, é real e muito eficaz.

O trator é equipado com gás e lança-chamas, até que ele queima o chão inteiro, matando ervas daninhas e pragas indesejadas, para então depois começar o plantio de novas sementes, e o terreno que até então estava contaminado, está pronto para receber essa nova leva.

Este novo sistema tem muitas vantagens, como por exemplo, o fato de remover grande parte da erva daninha, a sua velocidade e eficácia, e ainda impedimento do crescimento de raízes danificadas, desfazendo assim a necessidade de pesticidas e semelhantes.

E quem mais ganha com isso são os consumidores, pois acabam tendo vegetais ainda mais saudáveis e menos cheios de pesticidas. Só não foi revelado se essa tecnologia é mais barata e acessível do que os pesticidas comuns.

Com informações UPSOCL

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

15 COMENTÁRIOS

  1. Resta saber como farão para conter o fogo em Sistema de Plantio Direto no qual um dos benefícios é a camada de palha que fica sobre o solo. Com certeza esta filmagem é em região temperada onde se tem quase 6 meses de frio e neve que elimina tudo, até as plantas daninhas.

  2. Rodrigo Nogueira, não existe “plantas daninhas”, ninguém as plantam, elas nascem sozinhas e causam dano às plantas. O que existe são as ERVAS DANINHAS.

  3. Até pareceu piada de mau gosto quando li o título da matéria. Mais uma técnica que agride absurdamente o solo e toda a microvida que há nele. Fico imaginando o gasto com gás que a pessoa vai ter, sem contar que há o transporte deste gás, que emite mais poluentes.

  4. Tava lendo a matéria e fazendo as mesmas perguntas em relação aos microorganismos, Emissão de CO2…e quanta gente desiformado e se encantando com a magia do capital na contramão de tudo que tá se propondo para a melhoria da qualidade de vida da Mãe Terra, das nossas vidas.

  5. Mais uma ideia estúpida – apesar da autora a considerar “genial” – dos tecnocratas estúpidos que pensam que têm soluções para tudo. Para além dos problemas referidos nos outros comentários, fica ainda em aberto a sustentabilidade do método dado que o gás, enfim, não cai do céu, e pelo tamanho do depósito do tractor estão lá muitas centenas de kilos. Ou seja, mais uma vez a energia que se gasta na agricultura ultrapassa aquela que se recolhe, o que é mais um passo para a nossa destruição, não só das “ervas daninhas” que, “infelizmente não se podem evitar”. Já agora, em perspectiva de agrónomo. basta ver a cor do solo do vídeo para perceber que há total desrespeito pelas boas práticas agrícolas, sendo quase areia da praia. Vem-me à cabeça a frase “Política de terra queimada”.

  6. Mais uma invenção de quem não está nem aí com o meio ambiente.
    A grande produção, respeitando o ambiente , virá com a produção de muitos pequenos e médios produtores.
    Respeito ao meio ambiente ( e às pessoas ) não cabe nos meios do agronegócio de grandes Fazendas que detonam o meio ambiente, gastam recursos e não pagam impostos. Fica a pergunta:
    A QUEM INTERESSA O CRIME??????????

  7. Vejo gente criticando ai, e ainda faz pior, joga lixo nas ruas, gasta muita água e depois vem criticar o agricultor que coloca comida na mesa, gente quando for assim, vcs produzam seu próprio alimento, na hr de comer, ngm lembra que foi usado agrotóxicos e nem lembra que o mundo ta poluído, mas ai ta com o rabo cheio e vem falar merda…Quero ver esse povinho que fica criticando depois que o produtor rural parar de produzir kkkk fdp.

  8. Só que vai matar os organismos que são benéficos ao solo,Só que se levar mos em conta é muito melhor que os venenos, pois com a queima não vai contaminar o solo nem rios e vertentes ao contrário dos venenos que se espalham pelo solo e vertentes contaminando tudo.

  9. Gostaria que estás pessoas que ficam criticando desse idéias que poderia melhorar as práticas de produção,muitas pessoas que estão comentando nunca estiveram numa lavoura nem sabe como é uma planta não tem nem um conhecimento para criticar os agricultores,por não saberem nada do assunto a não ser por o que lêem se querem criticar vão passar uma semana trabalhando numa lavoura depois a gente volta a conversar sobre agricultura.

  10. Infelizmente, não é bom porque tb elimina a microbiota do solo, empobrecendo-o, tal como faz uma queimada. O agricultor acaba tendo que usar fertilizantes. Não é uma boa solução

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here