A vida é curta demais para correr atrás de alguém que nem sequer caminha pra você. Não é necessário ir atrás quando você já sabe onde está, quando conhece sua casa e conhece seus mistérios. Portanto, não busque, deixe que te encontrem.

A verdade é que há pessoas que não se importam, mas que, no entanto, se importam conosco. Nesses casos, pode ser difícil entender a situação, porque o interesse pelos outros não fala a linguagem do egoísmo. Mas não procure por algo que eles não lhe oferecem, não implore por isso também.

Lembre-se que o seu número de telefone é composto dos mesmos dígitos e que, na realidade, não há falta de tempo, mas falta de interesse. Pense que quando alguém quer ou precisa de algo ou alguém é capaz de remover o céu e a terra para compartilhar alguns segundos.

Afeição não é implorada

Não busque. Rastejar e implorar por migalhas de amor que eles não querem nos dar não é saudável a curto ou longo prazo. No entanto, certas amostras podem nos tocar e nos ajudar a procurar razões para permanecermos ancoradas no desejo de que essa pessoa permaneça em nossa vida.

Se pararmos para pensar, a única coisa que fazemos com essa atitude é prolongar desnecessariamente o sofrimento emocional. Submeter-nos à vontade dos outros faz com que nos tornemos fantoches de suas necessidades e desejos.

Nesse sentido, como é óbvio, há coisas que acontecem porque elas têm que acontecer, mas há outras que acontecem quando as fazemos acontecer. Não podemos nos sentir livres ou felizes se vivermos apegados e amarrados a esperanças que são manipuladas por outros.

Não busque, deixe o vento tirar as coisas desnecessárias em sua vida

É difícil deixar ir o que consideramos nosso, seja sentimentos ou pessoas. Ou seja, certas pedras que carregamos nas costas são unidas por um sentimento de identidade e pertencimento que se funde com o nosso medo de perder algo que acreditamos ser tão intenso e importante.

No entanto, mesmo que todo esse caos emocional nos ligue a certas pessoas, também acabamos nos cansando de não sermos valorizados. É provável que quando percebemos isso nos sentimos um pouco egoístas, o que é terrível para nossa saúde emocional.

Sentir que, se não podemos ter um pouco mais de uma situação ou que certas pessoas estão falhando, é algo incrivelmente comum. O fundamento desse sentimento é o medo que nos confronta com o vazio que a perda gera.

Em outras palavras, sentimos que, se pararmos de nos sacrificar, perderemos a oportunidade de construir parte da história emocional de nossa vida. No entanto, o que estamos realmente fazendo é nos comportar da maneira mais cruel possível conosco, com nossas expectativas e com nossos desejos.

O caminho para a liberdade emocional é construído a partir das pedras que estamos deixando ir; isto é, dos sentimentos e das pessoas tóxicas que estamos desfazendo.

Deixar ir é a única maneira de abrir espaço para nossas forças, para assumir nossos erros e expressar nossas intenções e nosso compromisso. Desta forma, evitamos que o negativo reduza o espaço ao positivo, conseguindo aumentar o nosso entusiasmo pela vida e pelo nosso bem-estar.

Não busque e nem vá atrás do que eles não querem te dar, deixe ir … Mas esteja aberto à possibilidade de ser encontrado por aqueles que querem fazer parte de sua vida de uma maneira saudável. Não olhe, deixe-os encontrá-lo…

Fonte indicada: La mente es maravillosa, traduzido e adaptado por A Soma de Todos os Afetos

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here