As palavras podem causar muito mais dano que as ações. Às vezes, conseguimos nos lembrar de coisas que foram ditas há muitos anos. As coisas negativas podem nos acompanhar por muito tempo, mas as positivas, muito mais.

O amor de mãe é capaz de chegar aos extremos da compreensão. Mas, como seres humanos que somos, às vezes podemos chegar a dizer coisas que não sentimos de verdade.

Quando sentimos que perdemos o controle e vem à cabeça algo que não é bonito ou encorajador para dizer aos nossos filhos, é melhor que você não diga.

O afeto para as crianças é algo de muito valor. Em diferentes ocasiões, os efeitos das palavras podem machucar bastante as emoções dos pequenos.

É comum que em certo momento tratemos as crianças como se fossem adultos, dotados de maturidade para compreender tudo que fazemos ou dizemos. Mas ter essa atitude sempre não é o mais indicado.

Entrando no âmbito das palavras nada positivas, as comparações ou as críticas podem chegar a ser muito agressivas. Mesmo que não saiam de sua boca com más intenções.

As palavras bonitas são as que contam

Aconselhar sobre o cuidado com o uso de palavras para falar com os filhos não significa que devemos nos descuidar da disciplina. Sabemos que há situações que precisam de mais firmeza. Mas isso não significa se tornar agressivo.

O objetivo é tentar escolher frases apropriadas para ajudar as crianças a refletir sobre seus comportamentos e dar a oportunidade de explicar, sem gritos, nem ofensas.

As memórias infantis tendem a ser um pouco mais sensíveis. Devemos nos lembrar de que são muitas as coisas que as crianças não entendem. Na maioria das vezes, estão indefesas perante a maior parte das situações que vivem.

O fato de que nossos filhos contam com seus pais para ter uma defesa perante o mundo que desconhecem, os transforma em seres dependentes do modelo de vida dos pais.

Assim, quando são repreendidos por pessoas de sua confiança, se sentem muito sozinhos.

Vamos pensar por um instante em como seria ter só uma pessoa no mundo que você confia e, de repente, ela muda de lado e nos tortura com palavras. É assim que as crianças podem chegar a se sentir.

Além da solidão, podem se sentir pouco queridas e vivendo com o inimigo. Quando se trata de adolescentes, o caso pode ser muito pior para eles. Ao mesmo tempo, as consequências podem ser mais pesadas.

A questão não é só evitar as palavras negativas, mas também saber expressar as positivas. As crianças precisam receber o afeto que sentimos e esperam ouvir sobre nosso amor por elas.

Aprenda a dizer ao seu filho o que você sente

Dizer para seu filho o que você sente também implica em falas que não são totalmente positivas. Mas se aprendermos como dizer, muitas crises podem ser evitadas.

Atenção! Isso não significa deixar de falar que estamos chateados ou apontar sobre um possível e recorrente comportamento ruim. Mas, sim, poder expressar nossos sentimentos da maneira correta.

Seu filho tem que saber que determinada atitude foi errada, mas isso tem que ser passado da forma certa.

É normal sentir que um de nossos filhos é mais inteligente ou mais bonito. Mas eles não precisam saber disso. Se o que você tem para dizer ao seu filho não é bonito, não diga.

Outras maneiras de ser amável com nossos filhos é cultivando sua segurança pessoal e seu amor próprio. Celebrar suas conquistas e dizer que são capazes podem ser as melhores maneiras de demonstrar carinho.

Também é oportuno para que desenvolvam sua autoestima e se sintam seguros ao assumir riscos saudáveis. Saber que alguém se sente orgulhoso de você, às vezes, é a melhor motivação possível.

***

Fonte indicada: Sou mamãe

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here