Lembro que antigamente, na minha infância, eu achava que o tempo (intervalo) entre um Natal e outro demorava muito. Eu não sei, mas sentia que o tempo demorava mais para “passar”. Tenho notado que o tempo tem passado muito depressa. Quando se vê já é final de semana e logo a semana já começa novamente. As promessas da dieta na segunda permanecem lá. Os abraços que queremos ofertar ficam para depois. O eu te amo a gente deixa pra outra hora. Arrumamos tempo para inúmeros compromissos. Casa, estudos, contas, trabalho e às vezes até aquele lazer. Mas as pessoas tem ocupado cada vez menos espaço em nossas vidas. O tempo segue em uma velocidade assustadora e isso me faz pensar o quanto deixamos algo importante passar nisso tudo: quem amamos. Deixamos passar quando usamos mais de críticas do que elogios. Quando vemos que aquela roupa ficou tão bem no fulano, mas não falamos. Que o cabelo novo da sua amiga ficou ótimo, mas deixamos pra lá. Quando esquecemos as datas importantes e tão simbólicas de um relacionamento por achar que isso é “ultrapassado”.

Deixamos passar quando o amor se torna morno e a gente não faz questão de esquentar. Quando encostamos em uma poltrona confortável, a qual não cabe o amor, ancorado na frase clichê de que “eu não preciso demonstrar porque você sabe o que sinto e penso”. A vida passa depressa e a gente perde muito tempo com discussões rasas. Implicâncias sem sentido. Coisas que poderíamos simplesmente “deixar pra lá”. Deixamos a vida e as pessoas que se importam com os nossos sonhos e que estão sempre lá, por nós, por besteira. Por cobranças. É,a vida passa mesmo depressa e a gente precisa se despertar. Sem limitações de eu te amo e sem essa que demonstrar amor demais enjoa. Ame do seu jeito, seja ele um bilhete despretensioso no meio do dia ou um abraço apertado. Seja um jantar, um bombom ou uma ligação. Só ame. Se importe e permita que as pessoas saibam dessa importância. Fala sim. Amor demais não é exagero. Achou bonito? Diga. Gostou da atitude? Fale. Ame com intensidade e não deixe a vida passar tão depressa a ponto de você não se dar conta de que era preciso amar. Demonstre. Valorize. Cuide. E te garanto: isso te fará um bem danado.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Thamilly Rozendo
Estudante de psicologia, apaixonada por artes, música e poesia. Não dispensa um sorvete e adora um pastel de feira com muito requeijão, mesmo sendo intolerante a lactose. Tem pavor de borboletas, principalmente as no estômago.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here