A árvore dos desejos é uma das histórias mais conhecidas de Osho. Lembremos que ele foi um dos líderes religiosos mais importantes do século XX. Era considerado um mestre espiritual, apesar das duras críticas que fez a Mahatma Gandhi e a vários líderes de seu tempo.

Osho foi, sem dúvida, um personagem controverso. Na época em que ele foi considerado um orador extraordinário e um pensador único, protagonizou vários escândalos que ainda pesam muito sobre sua memória. É lembrado por sua grande coleção de carros de luxo, por ter sido deportado dos Estados Unidos e pela recusa de 21 países em recebê-lo em seu território.

Para alguns, herói, para outros, um vilão. Seja como for, a verdade é que seus ensinamentos são muito válidos, embora ele mesmo possa tê-los transgredido. A história de Osho que compartilhamos hoje é um sinal de que, quem quer que fosse, era alguém com muita sabedoria.

“Não preste muita atenção ao medo, porque isso é perigoso. Se prestarmos muita atenção ao medo, iremos alimentá-lo e ele crescerá”.
-Osho-

A árvore dos desejos

Esta história de Osho diz que o conceito de paraíso dos hindus acredita que o Éden é um lugar povoado por seres e possibilidades extraordinárias. Entre elas, a de conter árvores dos desejos. Estes são seres dotados de poderes mágicos.

Parecem árvores comuns, mas têm o poder de realizar qualquer desejo solicitado pelos mortais assim que expressado.

Diz-se que uma vez havia um homem muito envolvido pelo que era material. Havia evoluído muito pouco na ordem espiritual e dedicou todas as suas preocupações ao imediato.

Em uma ocasião, o protagonista desta história de Osho estava profundamente adormecido. Seu espírito começou a vagar. Não era lógico que isso acontecesse com ele enquanto estava vivo, mas havia um erro na ordem natural das coisas. Por isso, chegou ao mundo do além.

De repente, o espírito do homem da nossa história se viu diante de vários caminhos. Não sabia qual tomar e simplesmente decidiu seguir o que estava mais próximo. Uma grande sorte, já que esta estrada levava diretamente ao paraíso dos hindus. No entanto, o homem não sabia disso.

Os desejos se tornam realidade

Segundo esta história de Osho, o homem ficou fascinado por tudo que encontrou no jardim encantado. Parecia muito bonito, mas ele não tinha a menor ideia de que estava no Éden. Por isso, se comportava como se estivesse em um lugar comum.

Caminhou por um tempo e logo se sentiu cansado. Então, decidiu dormir um pouco. Sem suspeitar, escolheu uma árvore dos desejos para se acomodar e caiu em sono profundo.

Quando acordou, só conseguia pensar que estava com muita fome. Então, ele disse: “Eu gostaria de ter algo delicioso para comer. Estou com muita fome“. De repente, com grande espanto, diante de seus olhos apareceram as mais deliciosas comidas. Sem se perguntar por que isso havia acontecido, o homem só queria satisfazer seu apetite.

Quando ele acabou de comer, sentiu sede. Então, ele disse: “Eu gostaria de ter algo para beber. Estou com muita sede”. Não havia nem terminado de dizer isso quando apareceram os mais deliciosos vinhos, que ele tomou imediatamente até ficar satisfeito.

Um final desconcertante

Já com seu apetite e sede saciados, ele percebeu que o que estava acontecendo não era normal. A história de Osho diz que foi então que o homem começou a suspeitar de que algo muito estranho estava acontecendo. Ele começou a sentir medo e disse: “Estou sonhando ou há fantasmas me pregando uma peça?”.

Como suas palavras eram ordens, a árvore dos desejos tornou realidade o que estava na mente daquele homem. Então, apareceram vários fantasmas que começaram a atormentá-lo. É claro que o homem ficou aterrorizado. Sem pensar no que estava dizendo, ele disse: “Eles são horríveis! Tenho certeza de que eles vão me matar!”.

Como você pode imaginar, os fantasmas o mataram. Apesar da ingenuidade da história de Osho, ela contém um ensinamento muito verdadeiro: fala da magia que as palavras possuem. Explica como, de alguma forma, atraímos aquilo que queremos.

Assim, embora sejam necessários outros ingredientes, o desejo em si já é um vento favorável. Através das palavras damos forma à nossa consciência e à nossa vontade. Por isso, e apesar de ser difícil acreditar, acabamos tendo tudo que está na nossa mente, mesmo sem a árvore dos desejos para nos ajudar.

Fonte indicada: A Mente é Maravilhosa

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here