Imagem de capa: tonjung, Shutterstock

E o sol acaba sempre por voltar. Mesmo que no dia anterior tenha deixado de brilhar. Veio, hoje, para mostrar o que ontem não nos mostrou. Veio, radiante, celebrar o dia que, agora, começou. Porque o sol acaba sempre por voltar. Que tenhamos a sapiência de esperar. E de o aproveitar. Brilhar com o seu brilhar. Hoje, o sol trouxe-nos fevereiro. Mais um mês que se inicia. Assim como o sol volta a brilhar, haverá sempre um novo dia. Que sejas bem-vindo, Fevereiro. Que nos tragas um bom (re) começo. Que sejas verdade e sejas vida, que nos abraces e nos vires do avesso. Que nos mostres o que é preciso. Que nos inundes do teu viver. Que nos brindes com a tua força, que sejas feito de um sorriso. E já estamos em Fevereiro, o mês guardado para o amor. E se assim tiver de ser, que entre o amor, por favor. Que entre sereno e que se vista de verdade. Que seja o nosso melhor amor e que não se torne em saudade. Porque tal como o sol acaba sempre por brilhar, assim devemos acreditar que é o amor. Que é feito para se viver e que, um dia, chegará para ficar.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




Júlia Domingues
Júlia Domingues. 39 anos. Jurista de formação, criativa por paixão. Sou feita de gargalhada estridente talvez porque acredite que, estridente deva ser a nossa existência. Não para os outros. Para nós. Estamos começados mas não estamos acabados. E , no fim; no regresso a nós, que consigamos, serenamente, dizer: «Ousei viver!». Sou feita de sentir e o que não me cabe no peito, transpiro-o nas palavras e no desenho. Sou mulher e sou feliz.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here