Imagem de capa: Tinxi, Shutterstock

O tempo vai passando e a gente vai compreendendo e aceitando melhor algumas coisas. Dentre elas:

– Grande parte das pessoas idealiza um companheiro independente, de gênio forte e inteligente, mas, no fim das contas, o que elas querem de verdade é alguém que tolere a forma estranha que elas possuem de se relacionar, alguém que não crie conflitos, apenas aceite; o que elas querem é alguém que consiga permanecer ao lado delas em qualquer circunstância, mesmo levando chifre, mesmo estando em segundo plano, mesmo não sendo o ideal de beleza delas. Ou seja, inteligência aqui é problema! Querem um boneco e não um SER!

– Muitas vezes as pessoas vão julgar sua vida baseando-se na delas e se você não tem o que elas acham que é certo, elas o julgarão infeliz. Mesmo que você nunca tenha buscado o que elas buscam e esteja em busca dos seus sonhos. Mesmo que seus sonhos nem passem pela vazia mente delas. Mesmo que elas não façam ideia do que é que te deixa feliz. Apesar de todos estes “mesmo que”, se você não tiver o que as pessoas têm ou se não levar a vida que elas levam, julgarão que você é infeliz.

– Muitas pessoas que se dizem amigas irão te ferir, serão desleais e com a boca que diziam “te amar”, te denegrirão; pedirão a Deus pela sua derrota e isso vai doer, mas vai passar. Acredite, pois vai passar. Não existe nenhuma dor eterna. Se há uma coisa eficiente nesta vida, é a cura que vem com o passar do tempo.

– Sempre haverá boas surpresas na vida e sempre é tempo para se render a elas. Onde e quando menos se espera, algo surpreendente sempre vai acontecer. Basta aguardar! Por pior que tudo pareça agora, alguma coisa surpreendente acontecerá em algum momento e sua vida vai mudar.

– No meio de todas essas pessoas vazias, que apenas querem que você seja passivo, haverá uma ou outra que olhará para sua essência, te aceitará, te amará e, o principal, te admirará. O único amor verdadeiro é aquele no qual existe admiração. Sem admiração não existe e jamais existirá verdadeiro amor. Tudo que simule amor sem admiração não passa de simulação e falsa ilusão, mais nada. Suspeite sempre de quem diz te amar, mas apenas te critica e comece a observar quem te admira, o amor real pode estar onde nem se espera.

– Às vezes a gente percebe que alguns rancores não valem à pena. Pois é, te feriram, te traíram, massacraram teu coração e isso gerou um rancor que ficou como uma bola dentro do seu estômago. Com o tempo percebemos que há muitos (MUITOS MESMO) rancores que não valem à pena ser cultivados, o melhor é deixar para lá. Apenas deixar a vida seguir e esquecer. Metade das pessoas que provocaram este rancor não sabe o que fez e a outra metade não se importa, então, o único prejudicado é quem sofre com o rancor, ou seja, você.

Uma coisa é certa, em tudo espere a passagem do tempo, pois ele é um santo remédio e quando acontece toda sorte de infortúnio, que nos faz crer que as coisas não têm mais jeito, vai lá o tempo e se encarrega de mudar tudo. A vida não é estática, conforme o tempo passa tudo muda e a solução dos seus problemas ou o alívio de seu sofrimento, muitas vezes, depende apenas de um dia após o outro, com uma boa noite de sono no meio. Portanto, seja qual for a dor que te consome ou a pedra no teu sapato, respire fundo e espere, o tempo vai passar e alguma coisa vai acontecer. Mas tenha certeza, vai ficar tudo bem.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO




Rândyna da Cunha
Rândyna da Cunha nasceu em Brasília, Distrito Federal, em 1983. Graduada em Letras e Direito, trabalha como empregada pública e professora. Tem contos publicados em diversas revistas literárias brasileiras, como Philos, Avessa e Subversa. Foi selecionada no IX Concurso Literário de Presidente Prudente. Participou da antologia Folclore Nacional: Contos Regionalistas da Editora Illuminare e das coletâneas literárias Vendetta e Tratado Oculto do Horror, da Andross Editora- http://lattes.cnpq.br/7664662820933367

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here