Por Natan Gaia

Para o amor que vai chegar guardarei flores, risos, uma garrafa do melhor vinho que eu tiver e uma carta de boas vindas escrita de sentimentos bonitos e nobres na esperança de recebê-lo com a simplicidade e leveza dos grandes encontros. Oferecerei meu bom humor, paciência e a chave do meu mundo o que não é uma oferta muito comum.

Para o amor que vai chegar deverei dizer o que me faz feliz, meu ponto fraco para cócegas e o quanto posso ser lido nas entrelinhas pelo não dito sem precisar de cartilha. Tenho tantas histórias para contar do quanto foram curiosas e engraçadas as minhas aventuras até aqui e do quanto esperar me gerou expectativas.

Para o amor que vai chegar vou tirar um tempo para perceber suas manias e ouvir sobre suas urgências ou suas dúvidas sobre qualquer sentimento do mundo. Não vou pedir que me chame de homem da sua vida nem que fale do futuro, tudo o que quero é bem menos complicado apenas que esteja por inteiro em todos os nossos instantes.

Para o amor que vai chegar provavelmente não falarei sobre fragilidades e inseguranças, talvez eu mude de ideia na hora, mas o máximo direi a esse respeito seja o quanto me sinto mínimo num mundo gigante e o quanto estive sozinho numa multidão de amores pois se as pessoas estão sempre indo e vindo só queria alguém que não achasse normal essa história de perder pessoas pela vida.

Para ler mais do autor acesse Sábias Palavras

RECOMENDAMOS



LIVRO NOVO



Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui