Por amor…

É bem difícil ser um humano. Sou imperfeito. Somos imperfeitos. E por causa disso existe essa beleza na gente. Essa fé por um dia melhor. Haverá dias de alegria, outros menos alegres. De vez em quando somos pegos por momentos ruins e, cada um, reage de uma forma. A dor que acomete o nosso coração bagunça a nossa cabeça, em consequência, nossas palavras ganham um tom diferente do habitual. Nossas atitudes amorosas são encapsuladas em medos, caramba… é difícil sorrir a todo instante. A tristeza ganha à modelagem do nosso corpo e nos vestem.

Quem aguenta a gente em modo chatice deveria ganhar um troféu. Mas são fases e, elas passam. Continuaremos imperfeitos, mas melhores. Resiliência.

Talvez eu tenha magoado demais quem não deveria ser magoada. Talvez eu já tenha cometido inúmeros erros que um dia nunca imaginei cometê-los, e, infelizmente, com a pessoa certa… errei. Erro meu. Mas aprendi a identificar quais foram os meus erros e quais foram os meus acertos. Aprendi que devo me esforçar para não cometer os mesmos vacilos, apenas, multiplicar o que há de melhor em mim. Além disso, ainda mais, não chegar a cometer outros enganos da mesma natureza…

Quero ser melhor do que sou agora; melhor do que fui ontem e, assim, lapidar-me para ser a minha melhor versão. Não melhor do que ninguém, apenas o melhor que eu posso ser. Por mim mesmo – e por você, claro.

Existe uma força no universo que nenhum físico consegue explicar: amor. O amor é um potente catalisador para mudanças. Vide o ditado: “se não aprende pelo amor, aprende pela dor.”. É mais ou menos assim – acho! O amor deverá vir primeiro. Às vezes não nos damos conta e deixamo-nos aprender pela dor. Mas, pelo o amor, são mais profundas as mudanças que alcançamos. É antes de tudo reconhecer essa necessidade: tornar-se melhor. Por você, por quem lhe ama.

Você com seu jeito amável me apontou tudo que havia de ser melhorado em mim, mas não escutei. Não vou dizer que foi por consequência daquela dor, ou de outra qualquer. Por imaturidade minha apenas, talvez?, acontece que durante um momento “eu não era eu”. Doideira; porém, a verdade é essa e, eu, lamento por isso.

Hoje, por todo amor que lhe tenho, quero me tornar a melhor versão de mim mesmo. Você me trouxe uma nova maneira de enxergar o dia a dia, me fez uma pessoa melhor. Por amar quero ser o que não fui, aquilo que deixei de ser por um breve momento; não pela vida, nela serei essa eterna busca por aprendizados profundos. Irei mudar constantemente para alcançar aquele por quem se apaixonou e lhe tirou tantos sorrisos.

Por amor… conseguimos proezas incríveis. E, das mais incríveis coisas dessa vida, o seu sorrir é o meu impulsionador diário. É aquele que me acorda e o mesmo que me coloca para dormir; sem nem precisar estar do meu lado. Por amor… por amar… sou metamorfose de mim.

Imagem de capa: 4 PM production, Shutterstock

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Luverlandio Silva
Nasceu no Piauí e cresceu em São Paulo, mora atualmente em Santo André – SP. Apaixonado pela área de exatas, mas tem o coração nas artes e escrita; trabalha e defende o meio ambiente e, as causas naturais: sentimentos; afetos; amor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here