Aqui nessa cidade onde o amor não tem mais vez

Eu sei que não será difícil pra você encontrar bocas e propostas interessantes agora que as mãos dela soltaram as suas mãos. Eu sei que você vai viver momentos de alegria e euforia. E estará mais comunicativo do que nunca, mais desapegado do que nunca, mais livre do que nunca. Diversão nunca foi o problema dessa cidade.

Aqui nessa cidade, onde o amor não tem vez, alguém te ofereceu um amor sem limites. Dizia ela que uma vida ao seu lado seria pouco. Ela te deu a fidelidade que você nunca pediu. A fidelidade que eu acho que você nunca nem chegou a acreditar que existia. Nessa cidade, onde tudo é tão fugaz, ela te ofereceu a eternidade. Ela te deu o que não se vende. Ela te ofereceu o que era raro. Mas é difícil falar de raridade quando se opta pela brevidade.

Aqui nessa cidade, onde o amor não tem mais vez, você tentou conciliar dois lados de uma mesma moeda. Queria a segurança que ela te dava sem abrir mão do que era efêmero. E ela que parecia aceitar tudo, o pouco e o nada, preferiu ir embora.

Nessa cidade onde as luzes brilham todas as noites enquanto os sentimentos se apagam, ela fez de tudo para que você acreditasse. Você fez de tudo para que ela desacreditasse. Ambos não conseguiram. Silenciaram.

Quando se tratava de amor, vocês eram visivelmente opostos. Porque o amor era tudo que ela tinha a te oferecer. E era tanto. Suas explicações eram tudo que você tinha a dá-la. E eram nada. Aqui nessa cidade, vocês nunca mais seriam um, mas dois. Dois seres agora tão distantes que mal daria para acreditar que continuam habitar a mesma cidade.

Imagem de capa: Hannah Hogan, Shutterstock

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Nat Medeiros

“Sou personagem de uma comédia dramática, de um romance que ainda não aconteceu. Uma desconselheira amorosa, protagonista de desventuras do coração, algumas tristes, outras, engraçadas. Mas todas elas me trouxeram alguma lição. Confesso que a minha vida amorosa não seguiu as histórias dos contos de fada, tampouco os planos de adolescência. Os caminhos foram tortos, íngremes, com muitos altos e baixos e consequentemente com muita emoção. Eu vivo em uma montanha-russa de sentimentos. E creio que é aí que reside o meu entendimento sobre os relacionamentos. Estou em transição: uma jovem se tornando mulher experiente, uma legítima sonhadora se adaptando a um mundo cada vez mais virtual. Sou apenas uma mas poderia ser tantas que posso afirmar que igual a mim no mundo existem muitas e é para elas que escrevo: para as doces mulheres que se tornaram modernas mas que ainda acreditam nas histórias de amor.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here