A vida é um sopro e precisamos saber vivê-la

A vida é um sopro divino, nada deves ausentar. Expõe a tua alma, assim como o viajante leva na mochila somente o necessário, sem exceder-se. Mostra a sua verdadeira face, pois assim como existirão os que te molestem, para a sua alma existirá quem te reconheça. E nessa dança bonita e esculpida pelos artefatos da realidade, seguiremos fortuitos sem nos permitir a arte descabida da desilusão.

Mascarar a essência, dissipar as nuvens negras, fugir dos descasos e descaminhos emaranhados pelo tempo, são rotatividades que asseguram-nos vivermos sob os guarda-sóis escondidos desse insidioso momento. No entanto, será que isso é realmente possível? Será que conseguiremos nos esconder dos raios solares o tempo inteiro?

Sabemos que eles estarão lá ao meio dia, então é sabido também que poderemos evitá-los nesse horário se desejarmos nos prevenir das queimaduras que possivelmente nos deixariam em temperaturas elevadas. Sabendo disso, é importante que saibamos ponderar e avaliar em que horário poderemos tomar um banho de sol proveitoso que só nos trará benefícios.

A vida é um sopro. Como você está vivendo?

Os fatos mencionados no início do texto, como mascararmos a essência, dissiparmos as nuvens negras, e fugirmos dos descaminhos desse tempo, são coisas que poderemos fazer em alguns casos, já em outros, sabemos que isso não será recomendável.

O que temos de mais valoroso em nós é aquilo que guardamos no interior de cada demanda que lubrifica as teias de nossa integridade.

Nossa “fortuna” interior é algo de uma riqueza imensurável. Não podemos simplesmente deixar isso pra lá, colocando pra escanteio algo que é de singular importância tanto para mim, quanto para você.

Às vezes fazemos isso simplesmente para nos protegermos do mundo externo, como se fosse possível ocultar o que está por trás das sombras de nossos olhos. Está tudo ali, escancarado para quem tiver um olhar atento e um pouco mais demorado. Os olhos são o espelho da alma, sendo assim, colocar cortinas só nos trará aborrecimentos. Mas afinal, do que temos medo? Será que temos medo de sermos descobertos em nossa graciosidade interna? Acredite que a beleza é fundamental para que os seus “tico e teco” funcionem corretamente. Seria relevante refletirmos sobre o que afinal seria essa beleza que tanto insiste em nos colocar à mesa?

Uma boa análise sobre esse teorema nos diz que o belo seria tudo aquilo que não agride e que não nos furta de nós mesmos. A beleza é importante para que a nossa referência seja demonstrada ao oportuno mundo externo. Sejamos transparentes, sejamos amáveis, e sejamos receptividade. Ao ocultarmos a nossa sombra, saibamos que não nos faremos mais interessantes, ao contrário, é demonstrando as nossas fraquezas que nos mostraremos imbatíveis perante os demais.

Todos nós temos algo feio a ocultar

Todos nós temos, em nossa personalidade, algo que um dia nos envergonhamos de fazer-se enxergar diante de outras combatividades. Saibamos dissipar as nuvens embaçadas, para que possamos enxergar com mais nitidez. Entretanto, permanecermos nesse ambiente só nos trará dores de cabeça constantes.

É sábio sabermos separar o joio do trigo. É sábio sabermos que por trás de cada nuvem negra, o sol estará lá, esperando para retornar esplendorosamente para todos nós.

Através da contrariedade de permanecermos escondidos em guarda sóis que ainda assim optariam por nos queimar a pele, é importante que saibamos nos resguardar de outras formas também. E então você me pergunta, que formas seriam essas? É simples. Devemos saber que é preciso usarmos filtros e protetores solares, e fazermos uso de roupas adequadas em todas as estações.

No frio a pele queima, no calor a boca resseca, em temperaturas amenas podemos nos sentir um pouco mais protegidos. Assim é a vida. Ela é feita de tempestades, de sóis ardentes, e de frios congelantes.

É fundamental sabermos nos preparar bem para todas as estações que abrigarão as nossas vestimentas. Mas nunca se furte da vida, faça chuva ou faça sol, é fundamental que você contribua de alguma forma com as esferas sociais em que estamos inseridos, colocando o valor que só nos fará prevalecer e sobreviver diante de quaisquer arbitrariedades que muitas vezes nos pegam de jeito, insistindo em nos passar infinitas rasteiras.

O sol é a bússola, o céu é medidor de felicidade, quando tudo em nós parece ruir. Saiba que, quando você procura por fulano ou por beltrano, você está indo em busca de sol, de chuva ou de uma bela tempestade. Saiba se preservar, se preciso for. Acautele-se, cultive o amor resplandescente que vibra latente dentro do seu coração. As pessoas são céu ou inferno, sabedoria ou estupidez, inteligência ou falta de perspicácia.

Afaste-se do que lhe faz mal, sendo assim estará devidamente protegido. A vida sempre te defenderá, pois o divino que habita em ti é sempre mais forte. Devemos nos precaver através da arte de cultivar a temperança que trará o universo que perfaz a intimidade da lua harmoniosa que brinca com todos os céus. A poesia vibra o universo reconfortante que abriga o interior de cada um de nós.

“Se procurar bem você acaba encontrando.
Não a explicação (duvidosa) da vida,
Mas a poesia (inexplicável) da vida.”
– Carlos Drummond de Andrade –

Fonte indicada: A Mente é Maravilhosa, texto de Thiana Furtado

Imagem de capa: Khomenko Maryna, Shutterstock

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos

Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: “A Soma de todos Afetos”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here