O que fazer com a sua vida quando você não consegue encontrar o caminho certo?

Você se sente perdido? Não sabe o que fazer com sua vida? Não consegue encontrar o caminho certo? Há pessoas que, em um certo momento, sentem que o rumo que estão tomando está totalmente sem sentido. Na verdade, nenhum caminho que possam escolher parece bom, e assim se desesperam em suas inúmeras tentativas que fracassam ao tentar alcançar uma mudança que acalme essa sensação. Não há futuro, não há metas ou objetivos. Estão perdidas.

Todos, em algum momento, nos sentimos assim, como se estivéssemos em um beco sem saída. É uma situação na qual detectamos, ao mesmo tempo, um grande vazio interior: nada por fora, pouco por dentro.

Embora não queiramos reconhecer, tudo que fizemos até esse momento – nossas decisões, nossas rejeições, nossa maneira de viver – nos levou a seguir esse caminho que parece não ter saída.

Reencontrar-se consigo mesmo para encontrar o caminho certo

Quando você não sabe o que fazer com sua vida, quando você chegou a esse ponto onde não consegue encontrar uma saída possível, não importa a angústia, a ansiedade, o desejo que você tem de sair dessa situação. Nada disso irá funcionar por enquanto. Há algo que você precisa fazer: se reencontrar consigo mesmo.

Em que momento você se concentrou nos outros e se esqueceu de você? Quando parou de se perguntar o que você realmente quer fazer? Desde quando o que fazer com sua vida se tornou a última prioridade? O modo de vida que temos nos obriga a colocar o piloto automático para agir como se fossemos robôs, evitando estarmos conscientes do momento presente.

Agora que você se encontra nesse beco sem saída, em que você não sabe o que fazer com sua vida, desacelere. É o momento perfeito para que você possa ser consciente de si mesmo e do que está à sua volta. Para que você volte a se conectar com o mundo e, também, com você mesmo.

Seus desejos, seus anseios, o que realmente o motiva, se farão presentes para apontar todos esses objetivos que você tem, mas que durante muito tempo você não quis ver porque se desviou do caminho. Você acredita que não há saída, quando a solução está dentro de você. A motivação vem de si mesmo, mas para encontrar o caminho certo você tem que saber o que deseja.

Dentro de você, você sabe qual é o caminho certo. No entanto, o tempo que você tem passado vivendo no piloto automático diminui seus instintos, fazendo com que agora você se sinta perdido.

É verdade que em um primeiro momento a reação quando não se sabe o que fazer é dar voltas, chutar, tentar correr em todas as direções, como se fosse um cavalo fugitivo. No entanto, você deve chegar ao ponto em que se dê conta de que deve parar para, assim, poder estar consciente e encontrar o caminho certo.

Se você não sabe o que fazer com a sua vida, comece a aceitar a realidade

Este é um passo muito importante para poder se beneficiar de tudo que foi dito anteriormente. No entanto, também é provável que você perceba que aceitar a realidade é o que de fato te fez entrar nesse beco sem saída.

Costumamos viver com diferentes expectativas sobre como as coisas devem ir surgindo. Termino a faculdade, encontro um emprego, depois o amor da minha vida com quem terei filhos e viverei muito feliz. Parece perfeito, certo? O ideal ao qual muitas pessoas aspiram. No entanto, e se tudo der errado?

As expectativas que você pode ter não garantem que as estações que você vai encontrar serão aquelas. O mais provável é que surjam problemas, dificuldades e adversidades que façam com que você se frustre, se irrite e se recuse a aceitar que, em muitas ocasiões, o que acontece não alcança suas expectativas.

Quando chegamos a um ponto de grande indecisão, pode ser a hora de se consultar com um profissional. Com ele, descobriremos se é necessário voltar atrás para localizar o cruzamento em que nos perdemos ou se, pelo contrário, a solução está em buscar mais alternativas para avançar no mesmo cruzamento em que nos estagnamos. Muitas vezes, o que acabamos escolhendo por uma ou outra opção irá depender do preço que estamos dispostos a pagar por tentar alcançar um objetivo ou outro.

Há momentos mais propícios ​​do que outros para que possamos experimentar essa crise existencial. Talvez o primeiro seja quando nos tornamos adultos: temos que escolher a que queremos nos dedicar e como queremos que nossa vida seja. O segundo surge na idade madura, aos 40 anos, com uma crise conhecida por todos em que se deixa uma etapa para trás para começar outra.

As expectativas, às vezes, nos impedem de ser flexíveis com os problemas e dificuldades que podem surgir.

Em muitos momentos de mudança, em que passamos de uma etapa a outra, podemos nos sentir perdidos, sem conseguir encontrar o caminho certo. Isso é algo natural e que, a princípio, não deve nos assustar. No entanto, se isso acontecer, devemos evitar que o sentimento de inquietação nos leve ao abandono. Os momentos de mudança também são momentos de inteligência e paciência, para decidir com cabeça, mas também para tomar a opção escolhida com segurança. Seja qual for a nossa escolha, não faltarão pessoas que nos digam que estamos errados.

Seja retrocedendo ou buscando outras alternativas, toda situação tem uma saída. Às vezes lógica e previsível, outras vezes surpreendente, aleatória e enigmática. Para a primeira vale a pena trabalhar, mas para a segunda, como dissemos antes, não se deixe vencer pela inquietação: o maior bloqueio diante das oportunidades.

Fonte indicada: A Mente é Maravilhosa

Imagem de capa: KeyStock, Shutterstock

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos

Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: “A Soma de todos Afetos”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here