Nada que começa com um “vamos dar um tempo” pode dar certo

No termo técnico, “stand by” significa deixar um aparelho ser movido com pouca energia, mas não desligá-lo totalmente. Isso permite que, a qualquer momento, você pode ligá-lo rapidamente, sem precisar esperar o carregamento dos servidores de energia. Quando trazemos o termo “stand by” para os relacionamentos, a definição não é tão boa assim.

Provavelmente, se me pedissem um conselho no meio da rua sobre o tema, eu diria que essa conversa de “dar um tempo” é a maior palhaçada que existe, mas, nos textos, a mensagem deve ser mais leve. Então, que assim seja.

Sejamos realistas: essa história de “dar um tempo” no relacionamento não existe. Na verdade, os adeptos da situação, são pessoas convenientes que preferem deixar o parceiro à espera da sua decisão, enquanto aproveitam o melhor da vida de solteiro. E, o pior é que, a sociedade, parece encarar como normal essa atitude e denomina o famoso “tempo”, como um “suspiro de vida” para o relacionamento”.

Não me leve a mal, mas na vida, há verdades que precisam ser ditas e “toda vez que alguém quiser deixar o relacionamento em stand by, está na hora de seguir sozinho” é uma delas.

Atualmente o “vamos dar um tempo” está modernizado. Disfarçado de “não sei o que estou sentindo” ou “preciso colocar na balança o que sinto”, acorrenta vítimas e deixa presas pessoas maravilhosas que deveriam estar livres para amar.

Pela razão “tempo” é a única coisa que não deveria ser pedido, nem deveria ser dado, até porque, não o temos. Ninguém sabe o amanha. A vida acontece hoje! Mas, os audaciosos de plantão trabalham com o tema como se fossem donos dele.

Pare de carregar culpas que não são suas. O fato do relacionamento não estar dando certo, nem sempre tem motivos palpáveis. O problema não é você, são as migalhas que você aceita. Não é ser tratada como segunda opção, é aceitar isso. Está na hora de entender que há coisas que valem a pena e coisas que não. Perder a própria paz esperando o outro decidir o rumo do relacionamento é, no mínimo, loucura.

Amar é transbordar. É querer estar perto. É, como dizia Antonie de Saint- Exupéry, “olhar juntos na mesma direção”. Quando o amor não acontece em toda a sua totalidade, não merece continuar. Entenda que é melhor investir tempo se curando, do que perder tempo de iludindo.

Imagem de capa: Phovoir, Shutterstock

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Pamela Camocardi

A literatura vista por vários ângulos e apresentada de forma bem diferente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here