Perdoe a si mesmo pelas escolhas que te fizeram sofrer. Você não tinha a maturidade que tem hoje.

Não tem outro jeito, sinto muito se estou te desapontando. Sabe, é louvável tudo o que você tem conquistado, especialmente, nos quesitos maturidade e crescimento pessoal. Entretanto, você precisa, definitivamente, entender uma coisa: você precisa perdoar a pessoa que você foi no passado. Compreenda, de uma vez por todas, que ela não tinha a maturidade que você tem hoje. Não a julgue, não a condene. Tudo o que a sua versão do passado precisa e espera de você é compaixão e empatia.

Pare de olhar para o que passou com as lentes da crítica e do arrependimento. Entenda, isso não vai te ajudar em nada. Uma vez que você já identificou onde errou e o que não pode repetir mais em sua vida, o melhor a fazer é encher a alma de gratidão pelos aprendizados e tocar o seu barco. Não, não é fácil olhar para trás e ter a consciência de que foi feito de trouxa, isso causa revolta, dor, constrangimento, raiva e etc.

Indiscutivelmente, é horrível se dar conta de que zombaram e pisotearam as suas atitudes e intenções mais genuínas. Talvez você tinha reservado o que tinha de melhor para ofertar a alguém e recebeu de volta o pior dele. Mas, entenda, cada um oferece o que tem, e você ofertou o seu sagrado. Se não foi valorizado, a culpa não é sua. Não permita que essa experiência te transforme num eterno ressentido.
Olha a situação por um outro prisma. Você adquiriu muitos aprendizados através dos seus desacertos. Não, isso não é uma frase clichê, é fato. Os seus dissabores contribuíram para a construção da pessoa que você é hoje: mais seletiva, mais observadora, mais prudente e, acima de tudo, consciente da sua capacidade de superação. Tudo o que você precisa agora é fazer as pazes com o seu passado. Dê um desconto à sua versão anterior. Não é justo se crucificar pelos erros cometidos, você fez o que estava ao seu alcance, agiu conforme entendia que era certo.

Experimente uma nova forma de olhar para as suas experiências passadas, mude o prisma. Extraia o que teve de positivo. Se, por exemplo, você viveu um relacionamento infeliz e abusivo e saiu dele isso merece ser comemorado. Nem todos tem a mesma capacidade ou sorte de se livrar de algo tão nocivo. Você conquistou o direito de recomeçar e isso é o que mais importa agora. Evite se lamentar pelo tempo em que esteve aprisionado. Se você ficar focado na mágoa e no ressentimento, você não terá condições emocionais de se refazer. Oxigene a sua alma, perdoe-se pelos dissabores, ainda que você tenha permitido, entenda que você estava, de alguma forma, sem imunidade emocional. Hoje o contexto é outro. Perdoe-se pelas escolhas que te fizeram sofrer, isso é fundamental para que você caminhe em paz pela vida e atraia as pessoas e circunstâncias que você merece. Combinado?

Imagem de capa: The Rabbit Hole, Shutterstock

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Ivonete Rosa
Sou uma mulher apaixonada por tudo o que seja relacionado ao universo da literatura, poesia e psicologia. Escrevo por qualquer motivo: amor, tristeza, entusiasmo, tédio etc. A escrita é minha porta voz mais fiel.

1 COMENTÁRIO

  1. Ivete,
    Esbarrei em um dos seus textos pelo facebook e cheguei aqui no seu blog, você fala das dores com tanta verdade que parece ler o que sinto e como me sinto.
    Gratidão…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here