O que eu aprendi enquanto estivemos juntos

Hoje faz 1 ano e alguns meses que me libertei de você, resolvi escrever uma carta com todos os meus sentimentos puros e minha alma despida para não lembrar nunca mais. Antes, pego meu copo de vinho, dou alguns goles e aqui vou eu.

Eu te amei, te amei de verdade. Te amei de uma forma louca e intensa. Antes de você, eu já tinha me relacionado, mas não me doado da forma que me doei pra você. Antes de você, eu não sabia o valor da palavra reciprocidade, hoje aprendi graças à você.

Uma vez eu escutei que amar é uma escolha e que amar tem que ser inteligente. Falar isso pra uma pessoa intensa como eu, é difícil. Porque quando eu gosto, não tem essa de fazer esses jogos emocionais para disputar quem é o mais desinteressado. Quando eu gosto, eu vou atrás. Eu chamo pra sair, ligo sem medo, falo o que quero e também o que não quero. Eu dou a minha cara pra bater. E você despertou o meu pior lado.

Com você eu aprendi que preciso me sentir segura pra estar com alguém. Não posso ficar com alguém que não me passa firmeza do que quer. Não posso ficar com alguém que fica em cima do muro, sem saber a diferença entre estar solteiro e estar sério com alguém. E jamais, ficar com alguém que não aceita respeitar o espaço do outro. Alguém que cobra fidelidade e é infiel em vários aspectos.

Com você eu aprendi que quando eu dou algo, eu preciso receber em troca. Parece uma frase egoísta, mas quando você está em uma relação, isso de ser recíproco é uma chave importante. Não tem como ficar com alguém onde você faz tudo, e ela, nada. Tem que ser uma via de mão dupla.

Com você eu aprendi usar a inteligência. Não aceitar menos do que eu mereço. Aprendi ter amor próprio. Quantas vezes te pedi respeito, e em troca recebi o contrário? Quantas vezes cuidei de você enquanto você ficava doente, e em troca recebi total falta de consideração enquanto eu precisava de você? Quantas vezes te pedi espaço, sempre te dei, e você me colocava como uma pessoa louca?

Tivemos momentos bons. Não vou negar. Mas esses momentos se tornaram tão raros perto dos dias de angústia que você me fez passar. Como que pode uma pessoa conseguir mudar tanto a vida do outro?

Por último, você me ensinou valorizar a pessoa que me amar. Me ensinou amar também com inteligência. Me ensinou que não é porque eu amo que a pessoa também me ama. É preciso observar os detalhes sempre. Observar a postura do outro em como ele vive e faz as suas escolhas. Eu te mandei sair da minha vida e aí sim me libertei. Mas eu queria nessa carta te agradecer. Graças à você hoje eu sou intensa da mesma forma, porém com uma facilidade absurda de mandar pastar quem não sabe valorizar a minha intensidade!

Imagem de capa: Elena Sikorskaya, Shutterstock

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Déborah Izy
Taurina, cerveja, ler, escrever, barzinhos, cinema, séries, filmes, super heróis, e amante da vida, acredito fielmente no amor. Gerencio a página em meu nome no Facebook: Déborah Izy. Espero que gostem e se identifiquem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here