Eu parei de pensar em você em Janeiro. Mas voltei hoje.

A saudade invadiu meu peito como quem entra sem permissão e resolve ficar por ali alguns instantes infinitos. E ela trouxe consigo umas músicas marcantes, umas poesias desconexas e um cheiro teu tão singular. Um perfume do teu corpo que só ele é capaz de exalar essa fragrância de saudade pela casa. Eu queria não ter que pensar mais em você, mas em todos os lugares em que passava eu via teu rosto. Por todas as paisagens que eu contemplava, teu sorriso parecia moldar-se perfeitamente em qualquer lugar. Em todas as bocas em que beijava, eu sentia teu gosto de menina-singular em meus lábios molhados. Eu parei de pensar em você em Janeiro, mas voltei hoje.

Agora me pego por aqui sem muito o que fazer, a não ser ouvir “505” do Arctic Monkeys para tentar afundar você de meus pensamentos de uma vez por todas. Mas você me sorrir sorrisos-flechas que acertam meu coração e novamente me perco em nossas memórias por cada canto da minha sala. Cada móvel tem uma parte nossa. Cada cantinho tem tanto pra contar sobre a gente. Nossas historias não caberiam na prateleira, e quantas vezes eu tentei rabiscar cores neste quarto que hoje permanece em preto e branco sem o brilho do teu sorriso.

Alguns corações que passaram por aqui sentiam tudo o que podiam sentir, enquanto o meu, só queria escrever sobre você. Pobres garotas, elas tentavam de tudo mas não eram capaz de chegar sequer aos teus pés 35. Elas sorriam poesias em meus olhos mas não sabiam sorrir a tua verdade em meu coração. Não era – nem nunca foi – culpa delas, você que era perfeita demais pra mim. Hoje me afogo nas palavras do Gabito Nunes, nas poesias do Zack Magiezi, nas crônicas da Fabíola Simões, até nas palavras nem nexo do Caio F. Abreu, só para tentar fugir dos teus sequestros mentais. Mas palavra alguma parece ter tal poder de te apagar de mim.

Demorou pra eu perceber que sem o castanho dos teus olhos, lá se foi o colorido dos meus dias. E que tentar matar a tua saudade dentro de mim, era morrer um pouco também.

Eu parei de pensar em você hoje, e sabe-se lá quando a saudade vai me invadir novamente.

Imagem de capa: GeniusKp, Shutterstock

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Pedro Ficarelli
Apaixonado pela poesia feminina. Acredito fielmente que o amor seja o infinito que resolveu morar no detalhe das palavras. Muito prazer, eu me chamo Pedro Ficarelli, e escrevo com o único intuito de pôr palavras onde a tua dor se faz insuportável.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here