Suas emoções ficam em harmonia quando você se conhece melhor

Quem consegue ter harmonia na sua vida hoje em dia? Na sociedade atual, são tantas tarefas que precisamos realizar no nosso dia a dia que fica muito difícil encontrar um equilíbrio emocional. A ansiedade, o estresse e a raiva são somadas ao nosso presente sem nem percebermos.

Dessa maneira, entramos em um círculo vicioso. Cada vez nos alteramos mais e fica mais difícil manter a calma e a serenidade. O que podemos fazer para tentar não ficar tão perturbados? Continue lendo se você quiser obter mais harmonia na sua vida!

“Sempre percorra o caminho mais curto. O caminho mais curto é o que está em harmonia com a natureza. Portanto, fale e aja de maneira mais sadia, já que um propósito semelhante liberta das preocupações e da luta, de qualquer tipo de preocupação e ostentação.”
-Marco Aurélio-

Para melhorar sua harmonia: conheça a si mesmo!

Como qualquer outra habilidade que queremos adquirir ou melhorar, para melhorar nossa harmonia será necessário colocar em prática uma série de exercícios. Assim, conseguiremos um maior equilíbrio emocional e, em consequência, nosso bem-estar geral vai melhorar. Mas isso não é nada fácil. Às vezes, estamos tão bravos ou nervosos que nos bloqueamos e fica impossível lidar com as nossas emoções.

Então, o que podemos fazer? Se identificarmos um padrão de momentos nos quais nos sentimos mal humorados ou muito preocupados, podemos dar um nome a tais momentos. Dessa forma, tomaremos consciência deles e passaremos a vê-los como um elemento externo a nós. Além disso, poderemos decidir se queremos continuar assim ou, pelo contrário, fazer alguma coisa para melhorar nosso estado de espírito.

Por exemplo, pode ser que comecemos a pensar mais frequentemente em tudo o que deveríamos ter feito, mas não tivemos tempo. Nesse momento, a ansiedade e a raiva vão entrar em cena. Não pararemos de enrolar, acharemos que somos um desastre e nos massacraremos ainda mais. Mas é exatamente esse momento que precisamos aprender a identificar e rotular para não ficarmos encurralados.

Talvez essa situação nos faça lembrar de algum amigo a quem, sempre que nos conta sobre momentos em que isso acontece com ele, dizemos que se cobra muito e que precisa aprender a delegar tarefas às outras pessoas. Dessa maneira, quando começamos a dizer a nós mesmos esse tipo de coisa, virá à nossa mente a palavra “autoexigente”, que vai nos avisar que estamos entrando em uma dinâmica que nos prejudica. Assim, teremos a possibilidade de pensar no que fazer para conseguir regular como nos sentimos e aumentar definitivamente nossa harmonia emocional.

“Quando você se sente como se estivesse obrigado a se preocupar com as coisas que acontecem ao seu redor, volte a si e não se afaste do ritmo mais que o necessário. Porque você será mais dono da harmonia quanto mais frequentemente retornar a ela.”
-Marco Aurélio-

A harmonia anda de mãos dadas com uma atitude contemplativa

Mesmo quando aprendemos a tomar mais consciência de como reagimos em determinadas situações e tentamos lidar com as nossas emoções negativas, às vezes pode ser muito complicado. Aprender a nos distanciar emocionalmente dos conflitos não é tão fácil quanto parece.

“O principal é entender que o problema muitas vezes nasce da nossa forma de ver o mundo externo como uma potencial fonte geradora de sofrimento, angústia, tensão, estresse… Quando isso acontece, podemos pensar que também pode ser uma fonte de harmonia.”
-Raúl de la Rosa-

Uma habilidade que pode nos ajudar na solução de problemas é ver as coisas em perspectiva. Mais ainda se a situação em questão não tiver solução a curto prazo. Para conseguir isso, podemos pensar naquilo que está provocando o mal-estar e fazer a nós mesmos a seguinte pergunta: O que eu diria a um amigo se ele me contasse isso? Dessa forma, poderíamos perceber como reagiríamos se fosse algo que estivesse acontecendo conosco.

Além disso, podemos fazer um exercício de visualização. Nele, nos imaginamos como árvores, percorrendo mentalmente nosso corpo e relacionando-o com suas diferentes partes. Assim que identificamos nossos pés com as raízes, as pernas e o torso com o tronco, os braços com os galhos, os dedos das mãos e a cabeça com as folhas, vamos acrescentar o vento.

Esse ar que nos atinge e sacode com muita ou pouca força serão nossos problemas. O que podemos fazer é ver como essa árvore, que somos nós, se mexe com o vento, mas sem se quebrar. A mesma coisa acontece com os nossos conflitos cotidianos, influenciam a nossa vida, mas sem acabar conosco. Assim, se praticarmos esse exercício frequentemente, vamos estimular nossa flexibilidade e nosso distanciamento emocionais.

Por fim, às vezes pode ser preciso chegar a um acordo na nossa empresa, na nossa família ou na nossa comunidade do bairro. Esses momentos serão muito mais simples quando conseguirmos atingir o equilíbrio emocional na nossa vida, já que poderemos colocar em prática as estratégias utilizadas para as situações de conflitos interpessoais, tentando mediar os problemas que requerem uma negociação. Dessa forma, retroalimentaremos nossa harmonia e conseguiremos conquistar um bem-estar mais elevado.

Fonte indicada: A Mente é Maravilhosa

Imagem de capa: OlScher, Shutterstock

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here