Antes de amar você, eu me amo

Eu quero lhe dizer que, antes de me entregar a você, preciso me entregar a mim mesma; conhecer todos os recantos e entrar nas áreas mais silenciosas e escuras da minha alma. Quero conhecer todos e cada um dos meus segredos, saber o que me faz bem e o que me faz mal e investigar os seus porquês. Eu sou uma pessoa que acredita que antes de amar você, preciso saber dizer “eu me amo”.

Preciso saber quais são as minhas feridas e qual é o ponto exato que as faz sangrar novamente. Conhecer meus pontos fortes e saber o que mais me define, qual é a minha marca, o meu ponto forte… para quando chegar o momento preciso, lhe presentear com o meu sorriso. Prefiro me amar primeiro para poder te amar de uma forma saudável. E se você ainda tem dúvidas, não se preocupe, quando terminar de ler esta carta, entenderá tudo o que eu lhe digo.

Quando eu não sabia como me amar

Comecei a perceber a importância de me amar quando me esqueci de fazê-lo. Justamente quando eu não estava bem e implorava o amor dos outros para me sentir melhor.

O meu falso bem-estar dependia da aprovação dos outros e do estado de espírito deles. Se me elogiavam eu me sentia feliz, mas quando era criticado e desprezado, me considerava um fracasso. Sem perceber, entregava as chaves do meu bem-estar a qualquer um, esquecendo de mim.

Tanto assim, que acabei sendo a pessoa que os outros amavam e que para mim era uma completa desconhecida. Eu nem sabia do que gostava, aonde queria ir ou quais eram os meus sonhos. Eu era tudo o que os outros diziam que eu deveria ser. Eu me negava a oportunidade de me conhecer, embora na verdade, eu nem soubesse que isso era possível.

Um certo dia explodi, sozinha, mas aconteceu. No início eu não sabia o que estava acontecendo comigo, me senti desconfortável e chorei. Mas com o passar do tempo, percebi que foi um pedido de socorro para mim mesma. A partir daí, comecei a me conscientizar de que não podia ser alguém pela metade e dependente do que os outros pensavam. Me cansei de ser quem não era para agradar aos outros e, aos poucos, comecei a me conhecer e me amar.

Eu me amo como sou: imperfeita, mas verdadeira

De repente, eu percebi que poderia ser mais independente do que imaginava, que a minha opinião era válida e que meus olhos eram lindos. Adorei perceber que sabia como agir sem que outros me dessem a sua aprovação (embora isso tenha me custado o afastamento de algumas pessoas…).

Me amava, me perguntava como estava e se o dia estivesse nublado, eu fazia planos para quando o sol brilhasse. Eu não precisava mais que os outros me dissessem o quanto valia, porque eu, de forma autônoma, conseguia reconhecer o meu valor; se me criticavam ou eu não sabia como fazer algo, não duvidava das minhas capacidades.

Aprendi a amar os meus defeitos e a tentar melhorá-los, valorizar as minhas conquistas e habilidades, e dessa forma abandonei o pensamento obsessivo de ser perfeita para todos. Agora amo as minhas imperfeições porque, de outra forma, seria como amputar uma parte de mim…

Eu me amo para que não precise ser resgatada

Certamente você vai se perguntar o que é que você tem a ver com o fato de eu me amar primeiro para poder amar você. No entanto, é necessário que você saiba para entender como seria o nosso relacionamento quando nem eu mesma sabia nada a meu respeito.

Se eu não me amasse colocaria nos seus ombros a obrigação de me lembrar quem sou e de estar constantemente apagando minhas dúvidas sobre o seu amor e minhas desconfianças. Você seria responsável por como eu me sinto ou, pelo menos, como eu perceberia e agiria de acordo com a minha insegurança. Você teria que me resgatar toda vez que minhas inseguranças aparecessem para questionar o meu valor.

Não seria um amor saudável, mas um relacionamento para tentar curar as minhas feridas. É claro que, quando não estou bem, preciso do seu calor e dos seus braços como um refúgio, mas você não é responsável por me lembrar todos os dias quem eu sou e quanto valho para que eu possa me sentir bem. Esta tarefa é minha.

Você não é culpado pelos fantasmas do meu passado. É por isso que eu preciso de um tempo para me amar, conhecer meus medos e minhas vulnerabilidades e não arrastá-los para que prejudiquem o nosso relacionamento. Você não precisa me resgatar ou me salvar dos meus vazios, você não é o meu salvador.

Eu desejo compartilhar a minha vida com você através da confiança e da compreensão, para criar um amor distante das carências e que continue crescendo ao longo do tempo. É por isso que antes de amar você, eu me amo. Porque eu não quero me perder em um relacionamento, mas me perder com você.

Fonte indicada: A Mente é Maravilhosa

Imagem de capa: Dima Aslanian, Shutterstock

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos

Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: “A Soma de todos Afetos”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here