6 motivos pelos quais pessoas que ficam solteiras por longos períodos podem ser mais felizes

O site Thought Catalog trouxe um texto intitulado “Girls Who Stay Single For Large Gaps Of Time Actually End Up The Happiest” (“Garotas que ficam sozinhas por longos períodos de tempoa ficam mais felizes no final”- tradução livre).

O texto trata das vantagens do autoconhecimento como degrau inicial de escolhas posteriores.

Achamos que diversos argumentos são bastante pertinentes para os amantes da solidão e da introspecção e, baseados na ideia do texto, separamos 6 motivos pelos quais a solidão pode ser a chave para uma vida mais plena e feliz.

Confiram!

1- Pessoas que ficam sozinhas por longos períodos de tempo ficam mais consigo mesmas e se conhecem melhor.

Não existe atalho para o autoconhecimento e permitir-se o tempo da solidão e reflexão é um grande passo para compreender melhor os próprios gostos, escolhas assim como identificar os desejos que nortearão a vida. Quem fica mais tempo sozinho aprende a se amar mais, reconhece melhor os sinais e limites do seu corpo, reconhece melhor os próprios sentimentos e sabe que, para alguns momentos, nada substitui a própria companhia.

2- Pessoas que ficam sozinhas consigo mesmas por longos períodos de tempo mantém contato mais próximo com amigos e familiares.

Quanto mais tempo temos, maior a possibilidade de diversificarmos nossos contatos e nos dedicarmos a grupos diferentes. Normalmente, quem não está em um relacionamento, mantém-se mais próximo dos amigos e visita mais os familiares. O afeto que não é investido em uma relação amorosa existe, mas pode estar sendo canalisado de diferentes maneiras e para diferentes pessoas. No final das contas, a diversidade amplia as possibilidades de uma rede de apoio mais ampla e cultivada. Uma pessoas pode ajudar e ser ajuda por amigos e por sua família. É ilusória a ideia de que é preciso um parceiro ou parceira para “cuidar da gente” nos momentos de dificuldade. Isso, aliás, aparenta mais uma faceta utilitarista e carente da relação, do que algo construído para uma partilha saudável.

3- Pessoas que ficam sozinhas por longos períodos de tempo mantém mais o foco em seus próprios sonhos

Quando não existe uma relação, há uma maior liberdade para ir e ousar. Muitos sonhos pessoais são abafados pelo sonho do parceiro ou da parceira, pela vinda dos filhos e pelas responsabilidades compartilhadas. Quando a pessoa está em um período assim ela não precisa fazer esse tipo de concessão e pode ir além e até aventurar-se um pouco mais, se isso fizer parte de sua natureza.

4- Pessoas que ficam sozinhas por longos períodos de tempo tornam-se mais independentes e fortes

A liberdade exige força e muita adaptação. Quem está só pode fazer muito, mas também arca com as suas escolhas. Toda essa adaptação necessária faz com que essas pessoas tornem-se mais resistentes à mudança e a eventuais surpresas da vida. No fim das contas elas sabem que é consigo mesmas que devem contar.

5- Pessoas que ficam sozinhas por longos períodos de tempo possuem sonhos mais amplos e livres.

O que impede de sonhar alguém que possui laços mais frouxos e flexíveis? Como não estão vinculadas a seus parceiros e parceiras, pessoas sozinhas podem sonhar mais alto e correr atrás de seus sonhos sem tantas variáveis que as poderiam impedir.

6-  Pessoas que ficam sozinhas por longos períodos de tempo podem viajar mais e gastar mais consigo mesmas- sentindo menos culpa por isso.

Não ter alguém imediatamente julgando nossas escolhas pode dar uma liberdade muito diferenciada. Se alguém sozinho resolve presentear-se com algo, não há ninguém tão próximo para julgá-la (além de sua própria consciência). É possível mudar de emprego e de cidade com mais facilidade. Como o que e quando quiser.

Tudo isso, e muito mais, faz com que a pessoa se conheça melhor porque, na maior parte do tempo, ela reage em relação a si mesma e arca com suas escolhas.

No fim das contas, todo esse conhecimento nem precisa ser atestado de solidão eterna. Estar só, conhecer-se, e vivenciar toda essa liberdade fará com que, se uma hora existir a possibilidade de mudança, essa escolha seja para somar e não uma fuga da solidão.

Aí, então, serão mais fortes e realmente felizes!

Fica a dica!

Lembramos, porém, que cada pessoa trilha o seu caminho e que a felicidade de um não é sinónimo de felicidade para outro. A lista acima ressalta pontos que podem ser positivos em quem segue uma vida “solo”, mas não querem dizer que quem escolheu uma vida de parceria está errado. Afinal, não existe certo e nem errado e sim escolhas que trazem consigo prós e contras 😉

Imagem de capa: Oleksandr Schevchuk/shutterstock

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos
Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: "A Soma de todos Afetos".

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here