Você já viveu hoje?

Imagem de capa: naito29, Shutterstock

Viver é o maior ato de coragem que pode existir. É um ato insano.

O que é a vida, caríssimo, senão uma grande expectativa?! Vivemos esperando por um amanhã ilusório que na verdade só existe nos nossos sonhos, mas que pode nem chegar. E o mais louco: Deixamos para este incerto amanhã, coisas que poderíamos ter realizado ontem ou hoje.
Vivemos querendo consertar o passado e adotando culpas monstras que nem nos são legítimas. Vivemos a semana inteira tentando acelerar os dias para ser logo sexta feira…

Passamos horas e horas pensando no que vamos falar e tentando decorar, pra chegar na hora H e ficar mudo.
Deixamos de viver o ano todo planejando as férias e esperando o próximo ano para, enfim, “começarmos a sermos felizes”…
Mas, eu preciso te lembrar que a vida não é feita só de finais de semana e festas de Réveillon.
A vida não é feita de magnânimos eventos. A vida não é feita de “e se”. A vida não espera o próximo verão…
Ao abrirmos os olhos e nos darmos conta de que chegamos a mais um dia, não nos resta opção, precisamos…VIVER. E eu digo VIVER, e não apenas habitar nesta planeta.

Você já viveu hoje?!

A grande maioria de nós apenas coexiste. Duvida? Vamos responder algumas questões: Quantas vezes, nos últimos 7 dias, você conseguiu ler um artigo todo, até o final, enquanto saboreava uma xícara de café? Eu aposto que você comprou um livro esse ano, mas eu duvido que você já tenha conseguido ler…
Eu acredito que você vá à academia pelo menos 3 vezes na semana, mas quando não vai, o que você faz com esse tempo “livre”? Você o ocupa, certo?
Quanto tempo de sobra para fazer NADA?
É fazendo ‘nada’ que a gente consegue fazer a catarse necessária, sabia? A higiene mental que precisamos…fazer nada é de extrema importância para o bom funcionamento do nosso cérebro. Quem não tem um tempo para si, não pode se considerar, de fato, vivo. Apenas, respirando.

Qual foi a última vez que você fez um piquenique ao ar livre? Ou que tirou 1 dia pra si, durante a semana? Qual foi a última vez que você tomou um banho relaxante, sem pressa, ouvindo uma música e dormiu mais de 7 horas?
Qual foi a última vez que você passou 1 dia inteiro sem celular?! Nos tornamos escravos da tecnologia, numa desesperada e vã tentativa de preencher nossos gélidos vazios internos… Mas só a sua presença e a sua EXISTÊNCIA podem preencher esse vazio! Fique a sós consigo…se dê o prazer de desfrutar da tua própria companhia.

Passamos a semana toda tentando acelerar ao máximo o tempo, não nos permitimos sequer desfrutar de uma segunda feira. Porque ansiamos, desesperadamente, pela sexta pois vamos, enfim, sair de um lugar que não nos agrada, com pessoas que não são escolhas nossas, onde desenvolvemos uma atividade que não nos dá PAIXÃO. No fim de semana estamos tão exaustos que não nos sobre tempo e energia para viver…e quando piscamos, segunda de novo. E aquela sensação de frustração e desânimo não nos abandona.

A vida é mais que isso!

Não é sobre abandonar o trabalho e as tarefas que dependem de nós, mas sim, criamos um refúgio interior, para onde possamos correr sempre que preciso. É sobre ter um lugar bem escondido, dentro de si mesmo, onde o caos mundano não nos atinja. É sobre sentir o coração acelerado de entusiasmo!
Viver é algo parecido com a linda e ingênua euforia pueril.
Quem a perdeu de vez não está vivo de verdade, só está no piloto automático
fazendo hora nesse plano, até a partida.

Há quanto tempo você não sente a chuva molhar seu rosto? Há quanto tempo você não sente o cheiro de terra molhada? Há quanto tempo você não anda descalço e esquece que existe relógio?
Há quanto você não esquece das pessoas todas e lembra-se de ti?
Há quanto você não se mima, não se alegra e não ri?

Você conseguiu ler esse texto até aqui sem interrupções ou sem que outros pensamentos lhe invadissem a mente?
Se sim, continue nesse caminho! Tire um tempo, nem que sejam só 5 minutinhos; Desligue-se. Se não…desligue o automático. Mude para: “Vida – Modo manual”. Dá um medo no começo, sabe? Pois precisamos nos libertar de amarras invisíveis que nós mesmos nos colocamos, precisamos quebrar um ciclo vicioso longo; precisamos praticar o poder no “NÃO”; precisamos nos dizer mais “Sim”; precisamos ESCOLHER. E é aí que bicho pega. Quando desligamos o automático, desligamos a apatia…e então não nos resta outra opção, tomamos as rédeas e precisamos DECIDIR. Você tem o poder de escolha, sabia? Não deixe o mundo te soterrar e te convencer do contrário. Sempre é possível mudar, se reinventar. Comece outra vez. A vida precisa de pontos finais firmes e novos capítulos. Não podemos passar toda a existência à base de reticências.

Reveja a sua história. Analise as vírgulas mal colocadas. Não tenha medo de errar a escrita, tenha medo é de nunca escrever nada e chegar ao fim da jornada com teu livro em branco.
Só há uma caneta capaz de escrever no teu livro. Ela chama-se VIDA.
Use-a sem moderação. Se ela não permite ser apagada, não te preocupes…há sempre uma nova folha esperando para ser preenchida. Esqueça a rasura. Vire a página! A vida não permite rascunhos.

Viver – E ESCREVER – é preciso!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Bruna Stamato
Carioca, criada na Bahia, quase paulistana e atualmente moradora de Porto Seguro-BA. Mãe de duas garotinhas lindas, geminiana, ascendente em Câncer e uma eterna sonhadora. Quando me perguntam, sempre brinco com as pessoas, dizendo que eu não sou escritora, apenas passo para o papel o que a minha alma dita. Por tanto, o mérito é dela! Sou aficionada pelas palavras, desde que me entendo por gente, quer dizer, na verdade, até hoje não me entendo direito por gente, mas amo as palavras desde que as conheci e que elas começaram a fazer sentido pra mim.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here