Recomeçar é abraçar as novas oportunidades que a vida nos oferece

Às vezes, a vida dá para a gente algumas inesperadas surpresas só para ver como sairemos de cada situação. Sabe quando tudo está – aparentemente, pelo menos – muito bem e, não esquentamos a cabeça com nada, é nesses exatos momentos que a rasteira da vida é mais precisa. Derruba mesmo. E ela vem de qualquer lado, quase sempre, dos menos imagináveis. Parece que o mundo pesará nos nossos ombros para sempre… e a gente acha que está se afogando, deitados, lutando para não beber dos sentimentos que nos cobrem… e é só ficar de pé, para respirar aliviado. Faz crescer.

É gostoso a sensação de tranquilidade. Que tudo está conforme desejamos. Ninguém gosta de sentir medo, ter um alto nível de ansiedade ou correr “riscos desnecessários”, acontece que, não passar por tudo isso, é viver uma vida estagnada na zona de conforto. A vida é inteligente. Se a gente não muda, ela arranja um jeitinho de causar as mudanças que precisamos. Pode dizer que não precisa delas… que está bem assim… mas, confessa, de vez em quando, você, como eu, ou ele, não pensa nas inúmeras possibilidades que há lá fora? … Por que não aproveitá-las?

Quando não nos programamos e, nos encontramos na necessidade de nos reinventarmos, puxamos o freio de mão da vida, assustados. Fases. A vida, felizmente, é feita de fases. Algumas são melhores e outras não tão boas assim, entretanto indispensáveis. Encarar o fim de um relacionamento tão querido é de uma dor mortal, mas não mata; encarar um novo emprego, novos companheiros, novo chefe e novos aprendizados, dá até um friozinho na barriga; começamos a achar que estamos sozinhos, distante de todos aqueles que chamamos de “porto seguro”, mesmo quando eles estão ali… sempre ao nosso lado – mesmo que em pensamento.

Para cada recomeço, um ponto final é pontuado. Se deseja ser feliz, é preciso entender a infelicidade do momento e, driblá-la. Se o relacionamento por qualquer motivo acabou? Foram tantos aprendizados e momentos felizes… Se resolveu sair ou perdeu o atual emprego? Tudo bem, haverá um novo, será preciso enfrentar as novas possibilidades fantásticas que virão… Se deseja perder aquelas gordurinhas teimosas? Será necessária uma reeducação alimentar e, talvez, diminuir a frequência dos fast-food, matricular-se na academia e abraçar todos os desconfortos e prazeres de uma vida saudável… Chorou mais do que imaginava poder chorar? Foi para limpar as impurezas da alma… Perdeu amizades por orgulhos? Peça desculpas… Sempre há como recomeçar.

Recomeçar é abraçar as novas oportunidades que a vida nos oferece; recomeçar é uma escolha que fazemos, para sair de onde estamos.

A vida não é estática. Recomeçar não é opcional. A vida é cíclica. Uma hora estamos bem, noutras, desencantados de tudo e todos. Felicidade vem em ondas como a fome, e precisamos nutri-las de pequenas alegrias; de pequenas e, às vezes, enormes mudanças. De dentro para fora.

A vida se renova e, isso, é uma das maiores belezas em se viver. São tantas as possibilidades, que me atrevo a dizer que são inesgotáveis e, possíveis. Dia a dia os nossos pensamentos e atitudes se iniciam e se findam. Chegará um momento no qual percebemos que, apesar dos pesares, apesar das incertezas e frustrações, a vida continua. Continua sem o “felizes para sempre”; continua sem o trabalho dos sonhos que não vingou aposentadoria; continua com a família morando longe. Continua porque somos suficientes para sermos felizes. Continua porque o único amor que a gente não podemos nos abdicar, é o próprio.

Imagem de capa: Mooshny, Shutterstock

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Luverlandio Silva
Nasceu no Piauí e cresceu em São Paulo, mora atualmente em Santo André – SP. Apaixonado pela área de exatas, mas tem o coração nas artes e escrita; trabalha e defende o meio ambiente e, as causas naturais: sentimentos; afetos; amor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here