O amor não é questão de sorte; O amor só entra onde é convidado

O amor só entra onde é convidado. Onde é convidado, benquisto; aceito. Por isso, não force a barra.
O amor não arromba corações fechados, não invade terrenos abandonados… Não toma posse indevidamente.
O amor não abre cadeados.

Então, o que você acha de checar a sua hospitalidade? Afinal, deixar-se amar é um dom para poucos, é um dom mais raro do que amar, propriamente dito.
Conheço gente que impõe tantas e tantas condições para que um relacionamento aconteça, que antes de tudo, já está botando empecilhos e gerando expectativa negativa, que não se permite sequer SENTIR o que tiver que sentir, que não se permite viver. Só isso…deixar-se levar, seguir a maré.
E nessa tentativa de se proteger e se resguardar de possíveis decepções, levantam muralhas altíssimas e eu diria, intransponíveis. O amor até bate nos portões, levanta bandeira branca, mas, COMO o amor vai chegar até elas?
Saem por aí então dizendo que a VIDA não lhes foi justa e AMIGA…Mas foi ela, a VIDA, que passou seu endereço pro amor.
Tem gente que reluta tanto, que parece que vive em guerra com o amor. Vestem armaduras resistentes e armas nas mãos. Mas isso é impossível, pois o amor é de paz!
Quem vive em guerra, luta consigo mesmo. Luta – e perde- sozinho. Se joga na lona e derruba a si próprio, depois sai por aí dizendo que “Não tem sorte no amor” .

Mas, desde quando o amor passou a ser apenas questão de ‘Sorte’?
O amor também é uma questão de escolha.

SE VOCÊ NÃO BAIXAR SUA GUARDA, O AMOR NÃO VAI CHEGAR ATÉ TI!

Se nem sempre é possível escolher por quem nos apaixonamos, sempre é possível permitir-se ser ou não ser, amado. Paixão é um mal súbito, amor é um troço muito bem bolado…

Não quero dizer para ficarmos com quem nos gostamos só porque essa pessoa tem amor por nós, mas quero dizer que nem sempre o amor é algo avassalador e visceral, que chega fazendo um estardalhaço, e que muitas vezes ele não nasce mesmo nas vísceras, brota direto no coração, com uma minúscula semente, DESDE QUE se tenha solo fértil. Desde que se prepare para o plantio. Desde que se tenha boa vontade em recebe-lo, rega-lo e tenha paciência para,então, colher na época certa, esse maravilhoso fruto.
O amor é doce. Se está demasiadamente amargo é porque foi colhido antes do tempo ou não foi semeado direito. Não há de ser AMOR de verdade! Orgânico e legítimo. E amor transgênico… não desce.

Existem vários subtipos de amor, e os melhores, na minha opinião, são os que surgem sem avisar, sem fazer muito alarde. São os que não se vão com qualquer tempestade. São os que levam tempo para apurar o sabor.
Sim, o amor tem sabor. E cheiro. E um cheiro único nesse mundo!
É viciante. Pior que chocolate. Quem começa, geralmente não quer mais parar.
Mas não tenha medo, não…afinal, a vida sem amor (e chocolate!) deve ser muito sem graça.
Não faça dieta! Consuma sem moderação (só o amor! Não o chocolate!).

Não adianta só ter ‘VONTADE’, é necessário provar! O amor requer um certo esforço, como uma tatuagem que a gente quer muito fazer mas não vê a hora de acabar: Todo mundo fala que dói, e a gente fica com medo, mas quando a gente quer muito, percebe que não dói tanto assim…que vale o “sacrifício”, que a felicidade final compensa. Só que o amor não tem, necessariamente, um fim. Então, curta o momento! Você esperou por isso muito tempo…Corra o risco!
E assim como uma tattoo, o amor também é pra sempre. Mesmo que você queira apagar um dia, você vai saber pra sempre que ele esteve lá. Um coração tatuado pelo amor, nunca mais volta a ser o mesmo.
Amor (e tatuagem) não tem sempre que rimar com dor.

Faxine a sua alma, bote seu rancor pra tomar um Sol no varal. Tire o mofo! Alegre-se em receber um hóspede muito especial. Abra a porta e todas as janelas, deixe a luz entrar. Seja receptivo. O amor nem sempre vem como esperamos. Ele pode se disfarçar. O amor tem muitas facetas. Às vezes não damos nada por ele…mas é preciso saber o reconhecer. Não o mande embora! Ele pode te surpreender.
Permita-se.

AMAR também é passível de ensinamento.
Também requer treino; prática. Não há outra forma de aprender, a não ser: AMANDO. Assim como qualquer teoria, é muito melhor na prática!

Não adianta deixar a porta aberta e se esconder atrás das cortinas. O amor não gosta muito de esconde-esconde (talvez um pega-pega)…

Deixe tuas experiências ruins no teu passado, pois elas também vieram pra te ensinar algo. Não é porque você já sofreu algumas vezes que vai ser pra sempre assim, a não ser que assim você deseje. Caso contrário, pare de atrair sofrimento pra si!
O amor é leve! Livre. Minimalista.
Não há muito “porém”, nem muito “por quê”, nem muito “e se”. O amor é simples em sua essência, na maioria das vezes isso é justamente o mais difícil de se entender.

Ame o amor e ele amará você.
Não há fórmula mágica. Aliás na magia, a lei mais importante é essa: Não se pode modificar e mexer no amor, em nenhuma Tradição.
Amor não se impõe, nem se agradecer.

Não é necessário sinalizar a estrada para o amor te encontre. Ele sabe o caminho. Não importa se é simples ou pequena a tua morada. Só mantenha a tua porta aberta.

Imagem de capa: Dmitry Sheremeta, Shutterstock

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Bruna Stamato
Carioca, criada na Bahia, quase paulistana e atualmente moradora de Porto Seguro-BA. Mãe de duas garotinhas lindas, geminiana, ascendente em Câncer e uma eterna sonhadora. Quando me perguntam, sempre brinco com as pessoas, dizendo que eu não sou escritora, apenas passo para o papel o que a minha alma dita. Por tanto, o mérito é dela! Sou aficionada pelas palavras, desde que me entendo por gente, quer dizer, na verdade, até hoje não me entendo direito por gente, mas amo as palavras desde que as conheci e que elas começaram a fazer sentido pra mim.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here