Cada pessoa que passa pela minha vida faz parte da minha história

Cada um dos momentos que compartilho com alguém faz parte do meu caminho, da minha história e, definitivamente, de mim. Tudo o que as outras pessoas me trazem me constrói e transforma as peças que me fazem ser como sou hoje.

Cada história da qual participei deixou sua marca em mim de uma ou outra forma. Sempre me lembro de algumas, outras ficaram no esquecimento, mas todas tiveram influência em como eu sou agora. Por isso, se eu pudesse mudar algo do passado ou tomar outras decisões, eu não seria mais a mesma porque tudo que aconteceu comigo me trouxe até aqui.

Tudo vai me fazer crescer

O fato de que todos que passarem pela minha vida vão deixar marcas não significa que vai ser sempre agradável e positivo. Às vezes eu vou ter a sorte de caminhar ao lado de alguém que vai me acrescentar muito, mas outras vezes pode ser que eu encontre alguém que não vou querer incluir no meu caminho e de quem nem sempre vou ter a oportunidade de me distanciar.

De uma forma ou outra, tudo que acontecer comigo vai fazer parte do meu crescimento. Sejam experiências positivas e mágicos encontros ou vivências negativas e desagradáveis desencontros. Tudo que acontece faz diferença e tem influência na minha história, inclusive as coisas negativas, porque sem elas eu não saberia o que não desejo na minha vida.

O mais importante é como eu vou agregar cada experiência na minha história, o que eu vou fazer com o que me acontece e como acrescento esses acontecimentos em mim. Eu me adapto e cresço? Ou, pelo contrário, eu fico parada e me deixo afundar? A partir de qual perspectiva eu vejo as coisas? Essa última pergunta é muito importante. Porque se eu me deixo definir por cada crítica, vou acabar em pedaços. Se eu absorver somente o bom e o positivo, vou viver uma irrealidade. Mas se, pelo contrário, eu for capaz de encontrar um equilíbrio entre as duas opções, vou conseguir descobrir a minha autenticidade.

Tudo isso me leva a pensar que sabendo que sou um acúmulo de histórias, momentos e pessoas, sou eu quem possui as peças e a oportunidade de organizá-las para criar a melhor versão de mim mesma. Por isso, tentarei dar um lugar privilegiado a tudo aquilo que faz eu me sentir melhor, e o resto vou aprender a utilizar para ser mais forte e me dar conta de que é o que me faz infeliz para, se for possível em algum momento, ajudar outras pessoas a perceberem isso também.

Tudo que eu vivi faz parte da minha história

Além disso, com o tempo pude compreender que sempre que conheço alguém ou me encontro em uma situação nova, descubro uma parte de mim que antes era completamente desconhecida. As relações que eu estabeleço com as outras pessoas me mostram mais sobre como eu sou do que sobre elas. O mesmo acontece com as situações novas e diferentes! Isso é uma coisa maravilhosa e tão difícil de assimilar que no começo pode até assustar.

“Tudo que acontece conosco, se adequadamente assimilado, nos leva a nós mesmos.”
-Carl Jung-

Por isso, eu não me arrependo de nada. Nem das decisões que tomei nem das que deixei para trás, porque tudo que eu vivi faz parte do meu caminho. E mesmo que eu tenha duas opções: errar ao viver da mesma forma que vivia no passado e gastar meu tempo tentando solucionar o impossível ou aprender a incorporar meus erros como mais um capítulo da minha história e continuar escrevendo novas partes, sempre escolho a última. Porque prefiro ser quem eu sou agora (uma composição de histórias). Eu prefiro escolher a cor com a qual vou escrever o meu caminho.

Imagem de capa: Anna Ismagilova, Shutterstock

Fonte indicada: A Mente é Maravilhosa

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




A Soma de Todos Afetos

Blog oficial da escritora Fabíola Simões que, em 2015, publicou seu primeiro livro: “A Soma de todos Afetos”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here