Queridos professores, ou vocês ensinam ou vocês humilham. As duas coisas não dá.

Primeiro, vamos ter calma. Sabemos das dificuldades que é ter a tarefa de ensinar alguém. Quer testar? Pense em algo extremamente polêmico e tente explicar para alguém que pensa o extremo contrario. Ensinar pode exigir níveis altíssimos de paciência.

E paciência é um bicho que nem todo mundo tem de estimação.

Preparar aula, suportar o desinteresse quase intransponível de alguns e muitas vezes receber mal. Eu sei de tudo que é difícil e complicado na Educação do Brasil, já estive como aluno e professor em ambientes públicos.

Entretanto.

Uma coisa são as dificuldades do nosso sistema, outra são as que se originam de nosso “jeitinho de ser.” Alguns professores estão mais ocupados em humilhar seus alunos do que em despertar interesse por conhecimento. Talvez por necessidade de afirmação, costumam usar de sua autoridade de ser quem faz passar ou não, para violentar as pessoas.

Essa idealização do professor por dom divino um sábio inquestionável, que jamais pode ser criticado, atrapalha tanto estudantes quanto educadores. Professor, antes de tudo, é gente e gente erra. E tem gente que esta tão acostumado a ser violenta em suas relações que não vai ser entrar numa sala de aula que mudara isso.

Sem esquecer do professor que usa da sala de aula para paquerar forçadamente com suas alunas. Da professora que ensina gritando. Das inúmeras vezes que são feitas perguntas nas salas de aulas e todos morremos de medo de responder e estarmos errados?

O medo muito mais afasta as pessoas do conhecimento do que aproxima.

O habito de humilhar demonstrando ser o “dono do conhecimento” costuma ser forte em pessoas que já não importa se os outros aprendem ou não, quanto mais silêncio fizerem, melhor. E isso não cabe mais, queridos professores, ou vocês ensinam ou vocês humilham. As duas coisas não dá.

Se em nossa história de vida aprendemos que só existe ensino autoritário, certamente em nossas relações faremos o mesmo. Mas aqui temos uma oportunidade. Todos. De nos desintoxicarmos dessa maneira de explicar o mundo e conhecermos formas menos violentas de nos relacionarmos.

Toda vez que qualquer pessoa, em qualquer ambiente, pensa em ensinar algo para humilhar deveria ser claro que os resultados disso são pessoas humilhadas ao invés de pessoas ensinadas.

A imagem da capa: De Master of None, disponível na Netflix, que vale a pena todo mundo que quer aprender a ensinar sem agredir. Vale mesmo, assista.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS





Alan Lima
"Escrevo porque fui alfabetizado um dia. Nada é meu, tudo é aprendido. Sou um autor de textos de todo mundo. O meu texto é pra ser isso, é pra ser teu."Um dos editores do Conti Outra e integrante do fan club de gifs de cachorros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here